Dia do Trabalho… cães também são trabalhadores

Logicamente que faltaram diversas “profissões” dos nossos amigões… atualmente eles são modelos, fazem novela e muito mais… mas tá valendo a matéria pelo dia do Trabalho!

Blog animais no “bulhufas”

Cães trabalhadores: fazendo a vida mais fácil para o homem

Durante séculos o cão tem acompanhado o homem, oferecendo a sua ajuda e companheirismo. Por isso se considera justamente esse animal nobre como o “melhor amigo do homem.”

Desde tempos antigos os cães eram usados para executar tarefas de diversos trabalhos, tais como pastoreio, caça e segurança. Seu temperamento, comportamento e física foram desenvolvidos no decorrer do tempo de acordo com a função a ser executada. Mais tarde nas cortes reais, a idéia de usá-los como animais de estimação, a moda que durou até hoje.

Atualmente os cães trabalhadores são treinados para tarefas específicas. Apesar de serem classificados de muitas maneiras, a principal delas é a que separa as raças de acordo com sua função.

Os cães de trabalho são usados para puxar trenós, salvar vidas, como cão de guarda, caça e defesa, entre outros.

Vejamos um pouco mas de detalhes das diversas funções que realizam os cães trabalhadores.

Cães de guarda e defesa:

São cães que têm características especiais de vigilância e proteção. O Dobermann, Boxer, Pastor Alemão e raças Rottweiler são ideais para atividades de segurança e defesa.

Cães de busca, busca e salvamento:

Sua missão é salvar vidas. Eles são treinados para que possam localizar, escavar e identificar a localização de vítimas soterradas de uma catástrofe, sob os escombros ou neve, de forma que a equipe de resgate possa continuar com trabalho de resgate. Estima-se que um cão de salvamento pode fazer em 20 minutos o trabalho de dez horas de um grupo de socorristas.

Cães policiais:

É cada vez mais comum encontrar cães no trabalho policial. Eles são usados principalmente para detectar drogas e explosivos.

Os cães que fazem o trabalho policial são geralmente os que facilmente se adapta a qualquer ambiente, possuem boa condição física e instintos de caça. Realizam seu trabalho entre 2 e 8 anos de vida.

Cães de guia:

São uma preciosa ajuda para os cegos, uma vez que proporcionam segurança e autonomia que lhes permita viajar sozinho.

As principais características que devem ter os cães-guia são: não devem exceder a altura mediana para um fácil manuseio de seu dono, ser sociável e obediente. Geralmente é utilizado para este tipo trabalho raças como o Labrador, Golden Retriever e Pastor Alemão.

Caçadores

Eles são criados para perseguir a presa. Os cães são geralmente de tamanho médio, corpo atlético e pelos curtos. Necessita de muito espaço para exercício, por isso nem sempre se adaptam à vida urbana. Eles são cães dóceis, mas são fortes instintos de caça. Entre elas estão: os Hound, Sabuesos, Teckel e Afgano.

Las principales características que deben tener los perros-guía son: no sobrepasar la talla mediana para que el manejo resulte cómodo a su dueño, ser sociables y obedientes.

Generalmente para esta labor se utilizan las razas Labrador, Golden Retriever y Pastor Alemán.

Pastores:

Como os cães de caça, os pastores são uma categoria que tem sido usada durante séculos. Estes cães são treinados para controlar o movimento de bovinos e ovinos.

Os cães bastantes ativos, inteligente e de diferentes tipos de pelos. Existe uma grande diversidade de raças de cães pastores. Inicialmente, eles eram altos e fortes para fornecer proteção para os animais contra os lobos e ursos. Mais tarde começaram a usar raças menores porém mas ágil.

Atualmente este tipo de cães incluem: o pastor alemão, pastor inglês, pastor belga, galês corgi, schnauzer gigante, e collie, e são usados também como cães de companhia ou cães de exposição. Seja qual for o trabalho realizado pelos cães, são uma grande ajuda para o homem e também uma excelente companhania

Nutrição de Cães e Gatos

Como nos ensinam a professora Linda Case, da Universidade de Illinois, a vice-presidente e o diretor da Iams Company, respectivamente Diane Hirakawa e Daniel Carey, nos últimos anos os pesquisadores conseguiram explicar os motivos pelos quais as pessoas são unidas aos seus animais domésticos, e também descobriram que a relação que se estabelece entre os animais e os seres humanos é, com frequência, benéfica para a saúde dos primeiros.

Não é surpresa que ao forte vínculo emocional que as pessoas sentem pelos seus animais de estimação e companhia junte-se a preocupação em proporcionar-lhes a melhor assistência sanitária e nutrição possíveis.

Os avanços alcançados na medicina veterinária deram lugar a programas de vacinação que protegem os cães e gatos diante de numerosas doenças perigosas, assim como a procedimentos médicos que contribuem para prolongar a vida dos animais domésticos. Além disso, o progresso no campo da nutrição gerou um conhecimento maior da dietética canina e felina e o desenvolvimento de dietas equilibradas para animais que contribuem para manter a saúde e facilitam a prevenção das doenças crônicas.

O competitivo mercado dispõe de um amplo leque de alimentos, “snacks” ou biscoitos e complementos nutricionais para cães e gatos. Esses produtos são encontrados em lojas, supermercados, lojas de produtos veterinários e de animais de estimação – pet shops.

São produtos que apresentam uma grande diversidade em relação à sua composição em nutrientes, disponibilidade, digestibilidade e sabor, bem como em sua forma física, aroma e textura. Alguns alimentos estão preparados para proporcionar uma nutrição adequada durante toda a vida do animal, outros são comercializados de forma específica para uma determinada fase da vida ou para um estado de doença (patológico) específico. Essa grande gama de produtos comerciais combinada com a propagação periódica de modas e falácias sobre nutrição, suscitou, entre os proprietários de animais de estimação e profissionais a eles ligados, uma grande confusão sobre os cuidados nutricionais de cães e gatos.

A nutrição não é assunto para amadores. Ela é uma ciência complexa que exige muita pesquisa e conhecimento técnico. É por isso que não se deve alimentar os cães e os gatos com comida preparada em casa e sim dar a eles, exclusivamente, rações adequadas para cada espécie, idade e situação, segundo orientação de um médico veterinário especializado.

 

ABSURDO da SEPDA e do ILHA NOTÍCIAS…PROTESTEM!

Pessoal, quero muito a ajuda de todos… Saiu aqui no jornal da Ilha do Governador (ILHA NOTÍCIAS) uma notícia que, além de estigmatizar os cães, ainda vê como revoltante o fato de moradores de um prédio alimentarem cães que me parecem ser “comunitários”.

Prá piorar, vem a SEPDA (sempre ela), que não gosta de trabalhar, que não se compromete e que só fala M… dizer que vai recolher os animais e levar para…. o CCZ!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Bom, como o assunto é aqui na ILHA, meu Bairro, eu mesmo vou dar uma olhada no caso amanhã (Domingo), para ver se esses c~es existem mesmo, qual a situação e… se for necessário, quero contar com a ajuda de vocês para resgate, tratamento e lar temporário… antes que populares acabem matando os animais, ou que a “maravilhosa” SEPDA os leve para o “campo de concentração”…ops CCZ.

 

Quem puder perder uns 5 minutinhos, ao menos mandem um email de REPUDIO ao ILHA NOTÍCIAS, que deveria ter um pouco mais de responsabilidade ao acabar incitando a violência contra esses animais.

Nesse link você encontra os endereços de email e telefones do Ilha Notícias, basta clicar!

http://www.ilhanoticias.com.br/ilha/contato.asp

A notícia:

Cachorros assustam pessoas na Freguesia
Cerca de oito cachorros, que vivem nas areias da Praia da Freguesia, em frente ao número 35, têm sistematicamente atacado pessoas que passam próximo ao local. Assustados, alguns moradores afirmam que os animais avançam sobre as crianças e em quem anda de bicicleta ou skate. Eles denunciam que um pescador, desconhecido, cria os animais e os deixa soltos 24h na praia. 

— Um homem fez da praia a sua casa. Os cachorros ficam debaixo dos barcos ou na sombra das árvores. As crianças não podem mais brincar na praia porque eles ameaçam morder, além de sujar as areias da praia.

Parece que eles vigiam aquele local e ninguém pode se aproximar — contou Antônio Luiz Guimarães, morador do bairro há 12 anos.

Regilane Carvalho, que vive na Freguesia há sete anos, levou um susto na segunda-feira (18). “Os cachorros atacaram o meu filho, enquanto nós esperávamos o ônibus. Ele não chegou a morder porque, para a nossa sorte, um morador viu e jogou pedra nos animais para que eles se afastassem”, disse. Mônica Ricci, há 20 anos no bairro, também disse que os cachorros já tentaram morder o primo, quando andava de bicicleta. “Eles vêem movimentação nas proximidades e correm para atacar mesmo”, afirmou.

Os moradores criticam também a atitude de quem mora no prédio de número 35 da mesma rua. “Mesmo sabendo da agressividade dos cachorros essas pessoas alimentam os cães. E sei também que o proprietário de um quiosque da praia separa comida para eles”, denunciou Fátima Regina Guimarães.

Antônio Luiz disse que já entrou em contato com a prefeitura e até com os bombeiros para retirar os animais da praia. “Eles dizem que só podem tomar providência quando acontecer algo realmente grave. A gente vai esperar um cachorro machucar uma criança para tomar providências?”, indagou revoltado. Quem mora na Freguesia e está incomodado com os animais afirma que já tentou diálogo com o pescador que cria os cachorros sem sucesso.

A Secretaria Especial de Promoção e Defesa dos Animais (Sepda) garantiu ao Ilha Notícias que vai encaminhar a retirada dos cachorros para o Centro de Controle de Zoonoses do Rio, que é um setor da Secretaria de Saúde. Eles lembram que a mordida de um animal de rua pode transmitir doenças e alertam para que as pessoas tomem cuidado.