Por que os gatos tem o habito de arranhar?

Qual a razão que todo gato tem de arranhar? Por que ele faz isso? Qual a finalidade?

O ato de arranhar é saudável e próprio do Gênero Felis, ou seja, de todos os felinos, inclusive dos domésticos. Da mesma maneira que ele se lambe para limpar-se ele também precisa aparar as unhas.

Há dois motivos básicos para os gatos arranharem. O primeiro é uma atitude de defesa. O segundo é para se livrar das capas velhas das unhas, que nunca param de crescer e quando crescem, vão formando escamas que são incômodas e por isso eles precisam se livrar delas.

Pare evitar que eles arranhem o sofá, as cadeiras, os tapetes e tudo o mais que encontrarem pela frente, existem os chamados arranha-gatos que são vendidos nos pet shops. Eles podem ter diversos formatos, e o mais comum é um cilindro envolto em corda grossa e instalado na posição vertical. Mas, se o seu gato não gostar do arranha-gato o negócio não funcionará. Existe, entretanto, um truque para fazer com que ele goste. É uma erva, chamada CatNip ou erva do gato, que atrai esses animais. Basta esfregar a erva no arranha-gatos que ele será atraído e acabará se acostumando.

“O ato de arranhar é saudável e próprio

do Gênero Felis, ou seja, de todos os

felinos, inclusive dos domésticos”

 

 

Saiba por que alguns cães acabam ficando agressivos

Muito legal a matéria… fiquem ligados!!!

Não percam as 7 dicas no final do post!

(do R7)

Excesso de mimos, castigos e solidão estão entre as razões do comportamento inadequado

A companhia dos animais de estimação sempre foi uma grande aliada de nós, humanos, na busca por conforto afetivo. Conviver harmoniosamente com um cachorro certamente é uma experiência muito recompensadora.

Mas também pode ser uma baita dor de cabeça. A falta de experiência ou de disposição dos donos para educar os animais pode prejudicar a relação com os cães, estimulando a agressividade.

Quando a história não começa bem, a insegurança do pet acaba gerando ansiedade e carência, o que estimula o surgimento de um comportamento inadequado.

Pesquisadora e autora de artigos sobre o comportamento animal, especialmente a questão da agressividade, a veterinária Rubia Burnier (UNIFENAS-MG) aponta que o excesso de mimos e mordomias, assim com a falta de autoridade do dono, aliada ao despreparo para educar, podem influenciar a agressividade do animal em sua busca por dominância ou segurança.

– Quando o cão rosna ou demonstra intolerância ao ser tocado, esconde objetos ou não permite que se aproximem à sua comida, persegue o dono, morde por trás e faz excessiva marcação do território por urina, são sinais de tendências dominantes.

A dica é usar regras firmes para educar e sociabilizar os cães, porém sem usar táticas punitivas, acorrentar ou prender o animal. Também é prudente tomar cuidado para não criar situações que causem estresse ou solidão.

Brincar diariamente com os cães e fazê-los se exercitarem é importante. Assim como evitar o estímulo ao ataque e ensiná-los comandos. Se os cães são socializados e aprendem a respeitar as pessoas desde filhotes, quando adultos eles serão mais equilibrados.

– Os donos precisam ser firmes e não permitir que o cão os ameacem. Nem aceitar que rosnem, ainda que por brincadeira. Entre as brincadeiras, as mais adequadas são as que relaxam o cão, como usar bolinhas. Se o dono bate no cão ou a brincadeira é violenta, pode haver consequências sérias.

Os caninos, de maneira geral, tornam-se agressivos por dominância ou medo. Por isso é importante a autoridade respeitosa e as brincadeiras e passeios. Se o animal cresce sentindo-se tolhido ou inseguiro, pode atacar ou ficar agressivo por razões banais.

– Acima de tudo, o cão necessita de limites, rotina estável e organização social definida, mais do que mimos e mordomias. Com carinho e atenção na medida certa, temos uma convivência harmoniosa e agradável.

 

Veja sete dicas para aprender a domar a agressividade dos cães

Quando o cão rosna ou demonstra tendências dominantes, pede atenção o

tempo todo ou faz excessiva marcação por urina dentro da casa, são alguns

sinais de que ele tem tendências a se tornar agressivo.

 

 

Ensine comandos de obediência ao seu cão. Evite bater, punir ou prender.

Ele deve te obedecer, mas porque entende os códigos de respeito e autoridade,

não porque tem medo.

 

É fundamental ensinar o cão, desde filhote, a respeitar as pessoas em lugares

públicos e na convivência diária. Socializar o animal é imprescindível. Assim,

ele crescerá um adulto equilibrado.

 

Se o cachorro tem o costume de rosnar, ameaçar ou desobedecer, é porque ele

tem tendência a se tornar agressivo. O dono, nesse caso, precisa tomar cuidado

para não se tornar refém do cachorro, impondo sua autoridade com firmeza.

Não aceite que o animal rosne ou te morda.

 

Donos de cachorros temperamentais devem recorrer a um bom adestrador

regularmente e recompensar o bom comportamento com petiscos e agrados.

 

Na hora de passear com o cão, não deixe que ele te arraste. Mostre a ele que você

é quem está no comando.

 

Evite que o cão fique muito isolado ou longe da convivência com outros animais.

Brinque e passeie com ele diariamente. Só assim ele não crescerá inseguro ou

apreensivo. Cães com esse histórico podem atacar por motivos banais.