Resgate do Feijão: A Missão!

Então pessoal, Fui procurado na semana passada pela amiga Andréia Balzana, me contando a história de desespero da protetora Jurema Pacheco e sua “via crucis” desde Janeiro desse ano, sem dormir, desesperada com a situação do pequeno Feijão. Feijão é um cãozinho daqueles apaixonantes. Pretinho do focinho marrom, daqueles bem comuns que vemos abandonados pelas ruas, mas que, ao longo da vida de seu tutor, teve amor e carinho. Ha 10 anos seu tutor morreu e aí começou a história de tristeza de Feijão. Não fosse o bastante ter perdido seu tutor, ficou abandonado na casa em que morava por 10 anos. Isso mesmo, 10 anos! Ficava preso diuturnamente a uma corrente curta, no sol e na chuva. Recebia alimento de uma vizinha, que jogava ração pelo portão. Carinho? Só das vassouradas que tomava da parente do tutor que raramente visitava a casa. Todas as noites, Feijão era obrigado a dividir seu espaço com usuários de Crack e outras drogas que, aproveitando-se do abandono do imóvel, invadiam para fazer uso de drogas. Comovido pela história, decidi por tomar uma atitude. Imediatamente mantive contato com o Ten. Cel. Ivanir Linhares Fernandes Filho, nosso velho conhecido, com quem dividimos operações enquanto o mesmo era Comandante do Batalhão Florestal e eu na Alerj. Marcamos o resgate para o dia seguinte. Combinamos com as amigas Cristina Selbach Rubens e Andréia Balzana um encontro no 3º BPM o encontro no Batalhão e assim foi. Infelizmente o Cel Linhares teve uma ocorrência e não estava presente no BPM, mas fomos recebidos pelo Major que atualmente é o Sub-Comandante, que nos prestou toda solidariedade, mas que se viu impossibilitado de auxiliar por uma questão de logística: A rua do resgate era fronteira com a área do 22º BPM (Maré), pertencendo na verdade ao mesmo. Diante do exposto, mantive contato com meu “ANJO DA GUARDA” e ativista, Cel Delvo que, imediatamente nos colocou em contato com o jovem Tenente Coronel Amaury Simões, que tem desenvolvido um espetacular trabalho na área da Maré, e partimos para esse BPM. Lá chegando, tivemos um bate-papo proveitoso com o Cel. Simões que, mostrando-se preocupado com a situação do animal, imediatamente disponibilizou uma guarnição para nos acompanhar. Chegamos a Higianópolis por volta das 17:00h. Imediatamente identificamos a casa e lá estava o pobre Feijão. Ao lado de um monte de lixo queimado, preso na coleira, triste e abandonado. Chamamos o “pedreiro”, que era a única pessoa no local da residência, explicamos sobre a denúncia de maus tratos e ele imediatamente franqueou nossa entrada. Ao me aproximas do Feijão já identifiquei o primeiro problema. Uma infestação de carrapatos como poucas vezes eu vi. Não havia uma parte dele que não tivesse aqueles monstros cinza enormes chupando seu sangue. Ele apresentava também sinais de fraqueza, possível desidratação, sem comida nem água (sequer à vista) e com uma corrente curta o prendendo a uma estaca. próximo a um monte de entulhos que lhe servia de cama (sem qualquer abrigo). Atestados os maus tratos, solicitei o recolhimento do Feijão, o que imediatamente foi feito. Nessa hora, os populares já se aglomeravam a porta e uma “vizinha”, aos berros dizia que ninguém ia levar o cão dalí, que já morava e ficava naquela situação ha 10 anos. Na mesma hora, perguntei a ela qual a sua autoridade e se ela responderia criminalmente pelo abandono e maus tratos pelos quais o cão passava já ha tanto tempo. Ao que ela desistiu quase que imediatamente e foi solicitada a afastar-se por um dos policiais que nos acompanhava. Conseguimos resgatar o Feijão que, tal qual tantos outros maltratados que já tivemos oportunidade de ajudar, nos presenteou com muita felicidade e a tradicional “lambeijoca” na cara. Fomos até a 21DP para lavrar o TRO e depois as meninas levaram o Feijão ao Dr. Lobo, para os primeiros cuidados. Final feliz para todos nós e principalmente para o Feijão que, ganhou um novo lar com muito amor para passar de forma digna os poucos anos que ainda lhe restam! Meu obrigado as parceiras Cristina Selbach Rubens e Andréia Balzana por todo apoio a esse salvamento, bem como pelos cuidados e o novo lar do Feijão. Um especial agradecimento a Jurema Pacheco pela preocupação, denúncia e por nunca desistir desa vidinha! Feijão, toda a felicidade do MUNDO!

Feijão recebendo o primeiro atendimento com Dr. Lobo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Injeção dói tio!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

O ânus irritado!

 

 

 

 

 

 

 

Primeiro passeio em 10 anos!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Banho: O que é isso? Mas é bom!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Carrapatos descendo pelo ralo!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

Deixe uma resposta