Campanha Semana Santa sem Peixe-Salvem os Oceanos

Nem todo mundo sabe, e muitos dos que sabem, fingem não saber ou tentam esquecer…

A pesca predatória, prática comum no mundo todo e particularmente no Brasil (sim, aqui temos e MUITA), será a responsável pelo fim das grandes espécies de peixes marinhos, e isso num curto prazo de menos de 40 anos.

A indústria criminosa da pesca predatória fatura centenas de milhões de dóllares por ano, sem sequer se preocupar com o seu próprio “prazo de validade”…

Você que é amante dos mares, dos animais e da natureza, tem a OBRIGAÇÃO de divulgar essa situação, e mais, de juntar-se a essa campanha!

É certo que muitos pensarão… “Mas somos poucos, nem todo mundo vai aderir, de que adianta?”

Grandes ações começam sempre com o primeiro passo.

Mostre que você é uma pessoa de ATITUDE, faça a sua parte, denuncie e, nessa semana Santa, troque sua posta de Peixe por um Pé de Alface!

Abaixo a matéria do site do Instituto AQUALUNG sobre o tema:

PESCA PREDATÓRIA

Rio de Janeiro

Apesar da pesca ser uma das atividades mais antigas desenvolvidas pelo homem, parece que o tempo de prática ainda não foi suficiente para evitar que ela seja realizada de forma predatória. Levantamentos recentes indicam que hoje a captura indiscriminada mata e desperdiça entre 18 e 40 milhões de toneladas de peixes, tartarugas e mamíferos marinhos todos os anos, o que representa nada mais nada menos do que cerca de um terço de toda a pesca mundial. E um crime contra a natureza. 

Infelizmente no Brasil os números também não são animadores e o Ibama, órgão responsável pela fiscalização e controle das atividades pesqueiras, prevê que ainda existe uma quantidade considerável de pescadores trabalhando de forma incorreta e, conseqüentemente, predatória. Entre os principais instrumentos legais para o controle da pesca no Brasil estão a Lei Federal nº 7.661/88, que ordena o Gerenciamento Costeiro, a Lei Federal nº 7.679/88, que dispõe sobre a proibição da pesca de espécies em períodos de reprodução, e o Decreto-Lei nº 221/67, que estabelece o Código de Pesca.

A maior problemática nacional consiste na sobrepesca (captura em quantidades acima das quotas acordadas internacionalmente para garantir a manutenção dos estoques de peixes ou a sustentabilidade da pesca comercial) e a pesca descontrolada da lagosta é um dos exemplos assistidos. O Ibama já diagnosticou que houve uma quebra no nível de sustentabilidade dos estoques. Ou seja, pescou-se muito mais do que seria aceitável do ponto de vista biológico das espécies do crustáceo.

“A pesca predatória da lagosta pode extinguir a atividade”, alerta o diretor de Fauna e Recursos Pesqueiros do Ibama, José de Anchieta dos Santos. Segundo o diretor, o declínio da produção nos últimos anos é o maior indício de que o excesso de exploração das duas principais espécies comerciais de lagosta produzidas no Brasil (Panulirus laevicauda e P. argus) compromete a sustentabilidade dos estoques. De acordo com dados do Ibama, a produção da lagosta foi de dez mil e oitocentas toneladas em 1995. Quatro anos depois, a produção já era inferior a seis mil e quinhentas toneladas.

Para tentar reverter o declínio da produção de lagosta e lutar contra a pesca predatória, o Ibama propôs, no início deste ano, a gestão participativa entre todos os envolvidos no setor __ industriais, armadores, pescadores, pesquisadores, ONGs e o próprio governo, através dos estados e municípios. A gestão conjunta na pesca do crustáceo é a maneira encontrada pelos especialistas para garantir a sobrevivência da atividade e a idéia é que o grupo estude e apresente ao Ibama uma forma sustentável de exploração da lagosta.

“A única saída para mudar este quadro é a gestão participativa”, diz José de Anchieta, ressaltando que esta levará a uma ampla revisão nos procedimentos legais e nas artes de pesca em geral adotadas no país.

Salvem as baleias

Da mesma forma que a lagosta, a baleia é uma outra grande vítima da pesca predatória, principalmente em países como o Japão e a Noruega. De acordo com dados do Greenpeace, mais de 2 milhões desses mamíferos marinhos foram mortos no último século em conseqüência da caça comercial, o que quase colocou em risco a sobrevivência da espécie.
Apesar desses animais estarem protegidos por dois acordos internacionais e da Comissão Baleeira Internacional ter proibido, em 1985, a caça comercial, a captura predatória ainda existe. O Japão, por exemplo, caça cerca de 440 baleias minke todos os anos nas águas do Santuário das Baleias Antártico com a alegação de que estaria realizando “caça científica”.
 

O Greenpeace defende a continuidade da proibição da caça e do comércio de produtos derivados das baleias. Para tal propõe e pressiona governos e autoridades para a criação do Santuário Global para todas as espécies de baleias do planeta. Esta grande área nascerá com a criação de santuários regionais e o Governo Brasileiro já apresentou sua proposta de delimitação do Santuário de Baleias no Atlântico Sul, que conta com o apoio de países como Nova Zelândia, Austrália, Inglaterra e Estados Unidos.

Principais atividades ilegais e predatórias no litoral brasileiro

Pesca de arrastão __ Utilização de extensas redes que ao serem puxadas entre dois barcos pesqueiros (parelhas) varrem o fundo do mar. É uma prática extremamente nociva à biodiversidade marinha, pois a rede revolve o substrato e arrasta tudo que encontra pela frente, destruindo o habitat daquelas espécies que vivem no leito oceânico e coletando um excesso de animais que acabam sendo desprezados, por não possuírem valor comercial.

Pesca com rede de malha fina __ Um dos maiores problemas é o uso de redes com malha menor do que o permitido. Com isso, captura-se seres muito jovens, que muitas vezes acabam servindo apenas de isca para capturar espécies maiores, ou simplesmente são descartados. Esta prática leva, inevitavelmente, à escassez de peixes e, a longo prazo, à extinção de várias espécies, pois quando capturados muito jovens ainda não tiveram a oportunidade de reproduzir-se.

Pesca em época proibida (Defeso) __ O Ibama proíbe na costa brasileira, anualmente, o exercício da pesca de animais como a sardinha, a lagosta, o camarão e o caranguejo. É nesses períodos que ocorre sua reprodução. A pesca realizada nessa época captura as fêmeas ovadas. O defeso foi criado justamente para permitir a reprodução da espécie em questão.

Pesca com explosivo __ A pesca com bomba, considerada de alto valor destrutivo, afeta a fauna, a flora e o substrato de fundo.

Pesca seletiva com descarte __ Algumas modalidades de pesca são refinadamente seletivas e altamente predatórias. Captura-se o animal para obter uma pequena porção de seu corpo, descartando a maior parte de sua estrutura física no próprio local da pesca. Isso ocorre com os caranguejos, para a retirada das patolas, e com os cações, para a retirada das barbatanas.

Sobrepesca __ Nos últimos 20 anos, a pesca em excesso e no período de desova foi responsável pela redução em mais de 80% de espécies como peixe-espada, atum e vários tipos de tubarões. Segundo a FAO, Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação, 70% dos estoques comerciais de peixe no mundo estão esgotados, super explorados, extintos ou em processo de lenta recuperação.

Redes abandonadas __ Abandonar redes em alto mar ou na praia é um hábito estúpido de pessoas descompromissadas com a vida. Infelizmente é muito comum encontrarmos grandes quantidades de redes abandonadas que costumam ser letais, pois aprisionam aves marinhas, tartarugas, golfinhos e até pequenas baleias que no mínimo ficam bastante feridas e debilitadas. Quando estas redes aprisionam os mamíferos e as tartarugas marinhas, na maioria das vezes estes não conseguem subir à tona para respirar e acabam morrendo sufocados.

Esgotos __ Um dos maiores problemas do litoral brasileiro é a falta de tratamento dos esgotos, que logicamente é mais complexo nas maiores cidades litorâneas do Brasil. Praticamente 90% do esgoto é despejado in natura nos mares, acarretando em grande poluição que prejudica anto para a vida marinha quanto à saúde do homem.

Retirada de Dunas __ O crescimento desenfreado das cidades litorâneas, sem um planejamento adequado, resulta, invariavelmente, em construções ilegais. O aumento da indústria da construção civil, nos últimos anos, é responsável pela retirada de enormes extensões de dunas. Estas são essenciais na manutenção do equilíbrio do ecossistema costeiro, pois além de abrigarem fauna e flora variada constituem uma barreira de proteção natural, impedindo o avanço do mar.

Derrame de Óleo __ Além dos grandes derramamentos, bastante visíveis e que costumam causar tragédias de proporções inimagináveis, é bastante comum a ocorrência de pequenos vazamentos que somados afetam consideravelmente o ambiente e a fauna marinha. Rotineiramente centenas de aves, pingüins, golfinhos e outros animais são encontrados muito debilitados por estarem banhados em óleo. Se não forem tratados adequadamente, estes animais acabam morrendo (por inanição ou por problemas respiratórios).

Hélices de Navios __ São armas perigosas. Seguidamente aparecem mamíferos marinhos (como golfinhos, lobos marinhos, toninhasetc) mortos na praia com o corpo cortado. Estes cortes são feitos por hélices de navios, que geram um fluxo muito forte e arrastam animais marinhos consigo. A solução seria obedecer à Lei 7.643, de 18 de Dezembro de 1987/Portaria n. 2.306, que ordena que se desligue o motor da embarcação quando se aproximar de algum cetáceo, pinípide e sirênio, e que condena a aproximação com embarcações a menos de 100 metros do animal. 

Pellets __ São pequenas bolinhas de plástico (polietileno e polipropileno) que se constituem em matéria-prima para a fabricação de garrafas plásticas e sacolas. O material é transportado por cargueiros abertos. Alguns pellets sempre acabam caindo no mar. Os pellets também são utilizados na limpeza de porões de navios petroleiros e acabam sendo descartados na água. Animais marinhos confundem estes pellets com alimento e enchem seu estômago com as bolinhas, de modo que não cabe mais alimento em seu estômago e morram de fome.

Americano é acusado de embriagar cão de estimação

Esse retardado deveria ter embriagado a Mãe!

A cada dia que passa, vejo mais absurdos serem cometidos pela raça humana contra animais.

Me pergunto o que esse imbecil tinha na cabeça? Não consigo encontrar resposta pois, ou sou muito tapado ou a insanidade desse imbecil é que é ininteligível!

Do G1

Caso ocorreu em Helena, no estado de Montana.
‘Arly’ estava tão embriagado que não conseguia ficar em pé.

O norte-americano Todd Harold Schrier, de 49 anos, que mora em Helena, no estado de Montana (EUA), foi acusado de crueldade contra os animais após embriagar seu cão de estimação, segundo reportagem do jornal “Independent Record”.

Todd Harold Schrier é acusado de embriagar cão de estimação. (Foto: Reprodução)
Todd Harold Schrier é acusado de embriagar cão de estimação.
(Foto: Reprodução)

De acordo com as autoridades, o cachorro chamado “Arly” estava tão embriagado que não conseguia ficar em pé. Schrier teria dado vodca para o animal.

Segundo a veterinária Michelle Richardson, o efeito do álcool em cães é semelhante ao que acontece nos seres humanos.

“Eu nunca tinha visto um cão com intoxicação por álcool tão aguda”, disse Michelle, que exerce a profissão há 20 anos.

Vamos achar os donos da BELLA

Pessoal,

 

Fui contactado pela amiga Taís de Carvalho nessa manhã sobre a cadelinha BELLA, uma simpática FOX PAULISTINHA que foi encontrada ontem por ela, vagando em Campo Grande – RJ, vagando no Centro desse bairro.

A Taís tem 2 cãezinhos(uma idosinha) de pequeno porte que estão tentando se adaptar a Bella, que deve ter no máximo um ano e meio. Mas é claro que se pudermos encontrar o tutor oficial da Bella, seria tudo de bom…

Ela foi encontrada limpinha, sem pulgas e com uma coleirinha, então, não acreditamos em abandono, mas em perda… ainda mais se tratando de um cão de raça.

Ela, como todo Fox Paulistinha é uma “danadinha elétrica”. Para quem não sabe, a raça é considerada uma das mais inteligentes do MUNDO, e é uma raça originalmente brasileira.

Caso não achemos o dono e ela não venha a se adaptar com as cadelinhas da Taís, estaremos promovendo a adoção da Bella, devidamente castrada,  e com termo de adoção, é lógico!

Vamos espalhar e tentar encontrar o Tutor da Bella… Para contatos:

Taís tel 7916-6650

ABAIXO A FOTOS DA BELLA

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Para quem não conhece a Raça:

do site foxpaulistinha.com.br

Sobre a raça

PDFImprimirE-mail

O Terrier brasileiro ou Fox Paulistinha, como também é chamado, apesar de comprovada a existência histórica desta raça em vários estados do Brasil, originariamente foi mais comum no interior do Estado de São Paulo, por isso é mais comum o nome Fox Paulistinha, do que o nome de registro, Terrier Brasileiro, que foi criado por ocasião do processo de registro da raça, também sempre foi conhecido no Rio Grande do Sul como Fox, e em Minas Gerais como foquinho. Foi a terceira raça de cão originalmente brasileira a ser reconhecida pela Federação, e é a segunda com reconhecimento mais antigo das que ainda são reconhecidas.

Não se tem certeza de suas exatas origens, mas há três hipóteses mais difundidas, a oficial, que consta no padrão oficial da raça Terrier Brasileiro, diz que descendem de cães do tipo Terrier trazidos da Europa pelas esposas dos filhos de fazendeiros, que muito freqüentemente, a partir de meados do século XIX e início do século XX, iam estudar na Europa, e quando retornavam, muitas vezes casados, traziam pequenos cães do tipo Terrier, que eram muito comuns entre as famílias mais abastadas deLondres e Paris nesta época, possivelmente eram das raças Parson Russel Terrier, Jack Russel Terrier e Fox Terrier de pelo liso, que eram raças muito comuns na Inglaterra neste período. E estes cães ao cruzarem com cães das fazendas no Brasil, e no campo sendo

aproveitados na caça, na guarda e em menor escala no pastoreio de ovelhas, teriam criado em poucas gerações uma nova raça. Com o desenvolvimento das grandes cidades, os fazendeiros e suas famílias migraram para os grandes centros urbanos, desta forma o Fox Paulistinha sofreu outra mudança de ambiente que teria contribuído em sua formação. Onde inclusive teve a importante função de guardar as mercadorias dos armazéns da ação predatória de roedores.

Há outra hipótese bem forte, e com dados históricos que diz que cães de tipo Terrier, sem precisão de raça definida, viajavam como caçadores de ratos em navios mercantes, principalmente nos ingleses, desde o século XIX. Os cães teriam sido tripulação fixa nestas embarcações devido ao receio que a população européia tinha da peste negra, e os cães ajudavam no controle dos ratos. E ao aportarem em portos brasileiros, teriam cruzado com cães locais adaptados as características ambientais brasileiras, e assim acredita-se que o Terrier Brasileiro teria se originado. Este mesmo processo teria criado outras raças em outros países. Uma ultima hipótese menos difundida diz que o Terrier Brasileiro é um cão indígena da região onde é hoje o Estado de São Paulo.

Tendo o mesmo padrão rácico desde 1920, a primeira tentativa de reconhecimento ocorreu em 1964, mas pelo baixo número de registros o processo foi cancelado. Depois de muito trabalho por parte de alguns criadores, a raça recebeu o reconhecimento provisório em 1995 e o definitivo em 2006. Esse processo é feito pela FCI, com sede na Bélgica e que tem uma série de regras a serem cumpridas antes do reconhecimento definitivo como comprovar ausência ou controle de doenças genéticas, número mínimo de exemplares sem parentesco próximo, ninhadas que nasçam homogêneas, etc.

Você se lembra da Angelita? QUANTA DIFERENÇA!

A vida é feita de pequenos momentos de felicidade consciente e de muitos momentos de indiferença. O que distingue quem vive e quem sub-participa da vida é exatamente a Atitude que cada um toma.
Ficar indiferente apenas favorece o mal.
Como muitos já disseram (e não me canso de repetir):

“Se você não faz parte da solução, certamente é parte do problema!”

Vocês se lembram da Angelita, aquela égua maltratada, queimada, judiadinha mesmo, que as meninas do Condomínio Rio 2 resgataram e que eu ajudei, angariando o valor do frete e lugar no Abrigo 3 da Suipa?

Então, para não dizerem que só damos más notícias…olha que belezura que ela está!

Vejam o antes e o depois do carinhoso tratamento dos Vet da Suipa e mais, a chegada dela ao Abrigo 3 e se juntando a cavalhada!

Vida loga a Angelita, sem nunca mais puxar uma carroça, com MUITO espeço, amigos e liberdade!

Esse tipo de História é que Vale qualquer esforço!

 

ANGELITA AO CHEGAR NA SUIPA

 

 

 

 

 

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

AGORA A NOVA ANGELITA, CHEGANDO AO ABRIGO 3

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Adoção ESPECIAL…Casal 20

Então pessoal,

 

Recebi hoje a ligação da Bebel, Presidente da SUIPA… ela me contou que o CBM resgatou um casal de Pit Bulls mestiços, SUPER HIPER MEGA mansos e carinhosos.

A Bebel, com o seu característico bom humor, batizou o machinho de Fabiano e a fêmea de Eliane (minha esposa).

Ela pede um adotante para adoção conjunta visto que os 2 cães se dão MUITO bem e parecem terem sido abandonados juntos.

Estão em ótimo estado, devem ter em torno de 1 ano de idade e, como dito, são muito dóceis.

Vamos ajudar a dar um destino a esse casal???

Quem quiser adotar, basta manter contato com a SUIPA (Sra. Nini) pelo telefone (21) 3297-8777

A Suipa proporciona aso cães os exames clínicos e a esterilização.

Vamos divulgar galera!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Já estão atrás das grades os responsáveis pelo blog Silvio Koerich

Quem não se lembra do famigerado blog do SILVIO KOERICH que, além de promover o ódio a todas as raças que não a “ariana”, ainda incentivava pedofilia e zoofilia?

Eu vinha investigando esse site já ha um bom tempo. Hospedado no exterior, num provedor de Kuala Lumpur, todas as vezes que o site era retirado do ar, retornava com novos DNS.

Amigos informaram que as investigações estavam adiantadas ha mais ou menos 2 meses, quando noticiei que tinha certeza da prisão desses criminosos… e hoje, recebemos a ótima notícia.

Confiram!

Do site do DPF

Operação Intolerância prende responsáveis pelo blog Silvio Koerich

Curitiba/PR – A Polícia Federal em Curitiba deflagrou hoje, 22 de março, a “OPERAÇÃO INTOLERÂNCIA” que  identificou os responsáveis pelas postagens criminosas encontradas no site silviokoerich.org. Foram   cumpridos dois mandados de prisão preventiva contra E.E.R. e M.V.S.M., moradores de Curitiba e Brasília, respectivamente.

Veja o vídeo da Operação

As investigações iniciaram-se a partir de inúmeras denúncias relacionadas ao conteúdo discriminatório do referido site. Até o dia 14 de março deste ano foram registrados 69.729 denúncias a respeito do conteúdo criminoso do site investigado. As mensagens faziam apologia à violência, sobretudo contra mulheres, negros, homossexuais, nordestinos e judeus, além da incitação do abuso sexual de menores. Os criminosos também apoiaram o massacre de crianças praticado por um atirador em uma escola na cidade do Rio de Janeiro em 2011.

 

O nome “Sílvio Koerich” foi apropriado indevidamente por E.E.R. em represália a uma terceira pessoa que rejeitou as declarações preconceituosas, homofóbicas e intolerantes postadas em um fórum de debates feminista.

 

Além dos mandados de prisão preventiva, a Justiça Federal autorizou o cumprimento de mandados de busca e apreensão nas residências e locais de trabalho dos criminosos.

 

 

Os presos responderão pelos crimes de incitação/indução à discriminação ou preconceito de raça, por meio de recursos de comunicação social (Lei 7716/89); incitação à prática de crime (art. 286 do Código Penal) e publicação de fotografia com cena pornográfica envolvendo criança ou adolescente (Lei 8069/90-ECA).

 

O nome Intolerância, mais do que indicar a atuação criminosa dos presos, significa a intolerância da sociedade brasileira para com tais condutas, sempre pronta e vigorosamente reprimidas pela PF.

 

Haverá entrevista coletiva para a imprensa no “Auditório APF Edson Matsunaga”, na sede da PF em Curitiba (Rua Profa. Sandália Monzon nº 210, bairro Santa Cândida, CEP 82640-040), às 10h00, quando serão entregues DVD’s com cópia de parte do material encontrado durante as investigações e que levaram ao decreto judicial de prisão preventiva para a manutenção da ordem pública.

 

 

Por: Comunicação Social da Polícia Federal em Curitiba/PR

PROGRAMA AO VIVO DA TV ATITUDE ANIMAL – CHAMADA

Então galera do bem,

Nesse dia 02/04/2012, vamos fazer o primeiro programa ao vivo do ATITUDE ANIMAL, transmitido LIVE (Ao Vivo) pela TV do Atitude Animal aqui na Internet.
Não vou explicar muito porque o vídeo fala (ou late) por si só…
Então fica LIGADO, porque no início será limitado a 50 telespectadores!

Lembrando que você pode acessar a TV ATITUDE ANIMAL de 2 formas:

1- Clicando no ícone da TV no lado esquerdo do nosso Blog

2- Indo diretamente ao endereço: http://www.fabianojacob.com.br/tvfabiano/