Você sabia que Humanizar seu animal é nocivo?

Amigos,

Diante dos vários absurdos com os quais me deparo diariamente, resolvi escrever esse texto para vocês.

Você sabia que quando humaniza seu animal você está promovendo um mal a ele?

Explico… animais são animais, humanos são humanos! Que redundância, mas parece que alguns tutores ainda não compreenderam essa diferença, que em primeira mão, nos parece tão simples!

Existe um conceito da zoologia chamado ETOLOGIA (do grego ethos, “ser” ou “personalidade”, logia, “estudo”) é a disciplina que estuda o comportamento animal. Conceito criado pelos estudos de Konrad Lorenz e Niko Tinbergen, influenciados pela Teoria da Evolução de Darwin, tendo como uma de suas preocupações básicas a evolução do comportamento através do processo de seleção natural.

Cada grupo de animais, subdividido em tipos, raças, influenciados regionalmente, possuí sua própria etologia, ou seja, seu conjunto de padrões de comportamento e mesmo peculiaridades anatômicas. Um bom exemplo são os cães que possuem pelagem espessa e comprida. Em seu desenvolvimento, se adaptaram para viver em regiões frias, sua etologia (quase uma programação interna) é de animais que vivem no frio.

Existem por exemplo, cães de pastoreio. Em sua etologia, graças a seu porte físico, suas características próprias necessita de espaço, precisa correr, desgastar a energia que possuí e mais, precisa ser útil! Daí, seu tutor, sem saber dessas características próprias, abriga um animal com esse perfil dentro de um apartamento, sem espaço… conclusão: Um animal infeliz, com desvios de comportamento e que pode até vir a se tornar violento e anti-social.

Mas o papo aqui é HUMANIZAÇÂO. A meu ver, essa prática acaba sendo até pior do que apenas desrespeitar a etologia de cada animal. Animais QUEREM ser animais e tutores não podem confundir amor e afeto com humanização.

Animais entendem linguagem corporal. Tudo na natureza se manifesta quase que em sua totalidade de forma postural. Plantas crescem em direção aos raios de sol, lobos se mordem para mostrar afeto, animais se camuflam para caçar ou para defesa… E a natureza é PERFEITA. Por que então nós humanos queremos mudar a natureza de nossos tutelados? E pior, acharmos que estamos promovendo algo de positivo com isso?

Como eu disse mais acima, animais querem ser animais, e PRECISAM disso para serem realmente felizes. Quando um tutor diz uma palavra e o animal parece “compreender” na verdade ele está adestrado para aquela ação…não compreende NADA! Então, por mais que digamos as palavras mais carinhosas como “tchuco-tchuco”, “amorzinho”, “filho do papai”, ele na verdade está entendendo exatamente o que entendemos quando um deles diz “au-au”…ou seja, NADA! Assim como nós analisamos a postura animal para compreender suas reações, eles também o fazem! Se o cão está com as orelhas viradas para frente é sinal de atenção (elas funcionam como um verdadeiro radar direcional), quando o rabo “abana” muito rapidamente é sinal de excitação e não propriamente de alegria…

Explicado meu ponto, vamos falar sobre o tema específico desse artigo. Acho um absurdo, talvez tão grave quanto maus tratos (pois não deixa de ser uma forma de maltratar), pessoas que humanizam seus animais, tirando dos mesmos suas características etológicas e causando um verdadeiro surto psicológico nesses animais.

Festas de aniversário para animais, com chapeuzinho, bolinhas, bolo, etc… o animal não entende NADA disso, sequer considera uma manifestação de carinho e afeto de seu tutor. Ele não entende NADA disso. A festa na verdade é para o tutor, e se assim o é, onde está a posse responsável?

Fantasiar o animal (animal usa roupa?) em época de carnaval, levar o animal para blocos, expô-los a situação de estresse, música alta de carros de som, tocando SAMBA a todo vapor, quando animais possuem audição extremamente superior e aguçada que a de humanos? E vejo tutores todos felizes, mostrando a fotinho de seus tutelados fantasiados em meio a essa agressão a natureza do animal!

Sempre digo que o melhor caminho para entender as necessidades de seu tutelado é colocar-se em situação inversa. Eu  pergunto, você como ser humano, gostaria de ser retirado de sua casa, ser jogado no meio do mato, sem ter o que comer, sem ter roupas para se proteger (nem pensando em vergonhas, mas em proteção mesmo), sem sapatos para enfrentar um terreno selvagem, exposto a temperaturas incompatíveis a seres humanos…com sede???

Uma das maiores punições ao ser humano é a prisão. É da etologia do ser humano ser livre, poder ir e vir (um dos maiores direitos garantidos em quase todos os sistemas legais do planeta) e por isso ela apavora tanto, é usada como forma de punição aos humanos! Então por que fazemos exatamente a mesma coisa, com seres como pássaros, que nasceram para voar, que tem em sua etologia essa característica? Já vi Calopsitas com roupa, aliás, já vi reportagem de grife de roupas para esses pássaros. Isso é um absurdo sem tamanho, e tem quem se diga defensor de animais que acha isso “bonitinho”!

Animais não nascem com unhas para serem pintadas de esmalte, não nasceram para serem vestido com roupas que remetem a vida humana (salvo aquelas roupinhas de frio, pois é um benefício aos animais), não nasceram para comer comida de humanos, não curtem festas de feitas para seus aniversários, casamentos, carnaval, natal, etc… Humanizar seu animal é maltratar seu animal. Você acha bonitinho, saí satisfeito, mas promove um mal a esse, que você diz amar como um filho!!!

Vamos ser mais responsáveis, vamos tratar nossos animais com amor, mas amor de forma que eles compreendam, com afeto, mesmo gostando deles como filhos, e por isso mesmo respeitando suas características particulares… e deixando que sejam felizes como animais.

Abaixo essas festas humanas, que em NADA acrescentam aos animais! O Carnaval está chegando, não promova maus tratos a seu queridão… não o fantasie. Se for para o bloco de carnaval (diversão humana) deixe seu tutelado em casa… com muita água fresca e ração gostosa!

Manifestação DO BASTA no Rio de Janeiro

Pessoal,

Estou muito contente e satisfeito hoje!
Poucas vezes se viu uma manifestação com tamanha mobilização em favor de nossos animais. Ocorreram eventos no Brasil inteiro, tivemos apoio dos órgãos de imprensa, manifestantes coerentes com o discurso, pessoas que não aguentam mais tamanho descaso das autoridades no que tange a questão dos animais.

Na barraca da Suipa

O dia começou cedo, saí de casa com o amigo Delvo às 08:30 da manhã… fomos tranquilos, esperando que, ao chegarmos cedo, seria fácil encontrar vaga para o carro. DOCE ILUSÃO…
Copacabana, com sua população gigantesca, seus prédios sem garagens, sol bombando… Fiquei quase 1 hora procurando vaga e o pior, não encontrei! Tive que descer do carro e aproveitar do Delvo para encontrar a vaga, que nesse airro está mais difícil de encontrar que agulha no palheiro… resultado… nosso combinado de encontrar a galera do bem, no ponto marcado, foi por água abaixo!

Cheguei ao local por volta das 10:10, com a passeata já saindo. Alguns de vocês não sabem, mas fui vítima de um atropelamento ha 2 anos, onde tive 4 fraturas nível 5 e a destruição do meu calcanhar, o que gerou na colocação de 2 placas e 5 parafusos (sou meio biônico) e que, até hoje ainda me gera sequelas… então, tem dias em que andar é IMPOSSÍVEL!

Aproveitei para ficar na Barraca da Suipa, encontrei a amada Bebel (presidente da Suipa) e vários amigos foram chegando.

Amada Bebel da Suipa e amigos ativistas...nós não nos esquecemos dos casos antigos!

Foi muito bom reencontrar antigos amigos de militância, conhecer pessoas super envolvidas e mais, “re” conhecer vários rostos que até hoje eram fotos no Facebook, pessoas com quem dividimos nossa luta diariamente, que nos ajudam, que ajudamos, que são quase família, mas que nunca tínhamos tido a oportunidade daquele abraço carinhoso e apertado, que gera aquela energia de quem se conhece ha anos!!!

Pelo que soube e pelas fotos que recebi, a passeata foi um grande sucesso! Centenas de pessoas caminhando juntas, a população prestando sua solidariedade, pessoas aplaudindo… tudo de bom!

Enquanto isso, ficamos ajudando no belo trabalho de conscientização da Suipa, coletando novos associados, encontrando os amigos, dando depoimentos para vídeos de protetores e para a Televisão. Fiquei impressionado com o nível de maturidade e conhecimento da grande maioria dos ativistas que, com o discurso afinado pediam maiores punições para crimes contra animais, políticas públicas, implementação de direitos (para quem não sabe, animal não tem direitos legalmente…) e a voz de todos sobre a castração com a chave para a resolução dos problemas dos animais abandonados.

Ainda teve um bônus para a nossa corrente do bem… Conseguimos salvar os 3 gatinhos abandonados do

Nossa força mora em nossa UNIÃO... Pequena parte da GALERA DO BEM!

Parque Garota de Ipanema… eles já tem um lar e serão muito bem tratados!

Essa data foi um marco certamente. Mandamos nosso recado… agora nos cabe esperar a manifestação de nossas autoridades e mais, responder-lhes a altura nas próximas elições. Na política, a moeda de valor é o voto. E o nosso, certamente será MUITO valorizado nessa próxima eleição.

Como nem tudo sao flores, eu particularmente não gostei de alguns pontos… a tentativa de utilização do evento para fins politiqueiros (já era de se esperar) inclusive com caminhão de som emprestado por um Político… até aí, sem problemas, que bom que alguém se coçou para ajudar, mas sinceramente? Não tinha a menor necessidade do caminhão repleto de pinturas com o nome desse deputado.

Suipa... Esterilização é a solução!

Que venham mais eventos como esses, que a cada dia a militância em favor dos animais seja mais coesa, inteligente, equilibrada… Assim como ha 20 anos eu era chamado de “ECO CHATO”, de “Maconheiro” (mesmo sem nunca ter sido um), de “Bicho Grilo”…e atualmente até as autoridades fingem se preocupar com o desenvolvimento sustentável, hei de ver o dia em que ativistas de animais não sejam mais taxados como “infelizes neuróticos” como muitas pessoas acreditam. Lá estavam pais de família, mães, pessoas bonitas, alegres e o melhor…MUITO INTELIGENTES E SENSÍVEIS!

E que as próximas venham com força!

Povo reunido

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Companheiros de LUTA! Gente do BEM!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gatinho resgatado

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Povo LINDO!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Gente que FAZ!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Barbixinha de nariz rosa para adoção!

 

 

 

 

 

 

 

Muito Orgulho dos meus amigos!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Meninas Super Poderosas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E que venham as próximas!

 

 

 

 

Resgate na Taquara…cães assassinados no meio da Rua

Então pessoal,

Todos vocês devem ter ficado sabendo da história sobre uma mulher que assassinava cães na Taquara, Rio de Janeiro. Essa denúncia rolva na internet ha alguns dias e ontem culminou com uma baita confusão que no final, acabou com alguma vitória.

O dia começou com a amiga querida Janahyna Oliver revoltada, querendo ir até o local para apurar a verdade dos fatos denunciados. Preocupado com a segurança dos animais, apenas recomendei calma e que as coisas fossem feitas de forma discreta. Por experiência sabemos que, quando maltratantes se sentem afrontados, ou os animais desaparecem ou são mais maltratados.

No meio da tarde, recebi uma ligação  informando que a protetora Jessica encontrava-se desesperada no local, já que haviam informações de que a maltratante estaria matando mais animais, além dos 6 mortos na calçada. Populares se aglomeravam no local e a tensão gerda pelo caso estava insuportável. Fui informado que a PMERJ e a Polícia Civil teriam estado no local mas, independente dos corpos dos cães, não teriam intercedido na retirada dos animais que ainda estariam dentro da casa (uma hora se falava em 10, outras em até 30 animais).

Como o caso já tinha tido a presença da Polícia Civil, já estaria numa fase investigativa por essa polícia

momento em que negociava a entrada na residência

judiciária, atando as mãos da grande maioria de ações que poderiam ser tomadas. Assim, indiquei a protetora o comparecimento a 32ª DP, exigindo da autoridade policial que fossem retirados os animais do local de risco.

Por volta das 19:00h comecei a receber diversas ligações de protetores desesperados, visto que nada havia sido feito com relação aos animais que ainda estavam no interior da casa. Me perguntava as razões pelas quais NINGUÉM havia dado voz de prisão a essa senhora, que segundo informações de vizinhos seria doente mental… Algumas pessoas não sabem, mas qualquer cidadão, independente de cargo ou autoridade, tem o DIREITO de dar voz de prisão no caso de um flagrante. Com a maltratante detida, poderíamos pleitear a autoridade policial a guarda dos animais ainda vivos.

Imediatamente liguei para o querido amigo Ricardo Nicodemos, filho do Coronel Delvo Nicodemos que é um amante dos animais, tenente PM e instrutor esporas de ouro do RPMONT-PMERJ. Combinamos de nos encontrarmos no local.

Como estava sem carro, contei com a precisosa carona e apoio da amiga Janahyna que, se despencou de casa na Abolição para me buscar na Ilha do Governador e assim, por volta das 20:40 partimos para o local. Ao mesmo tempo, já na confiança de que iríamos resgatar os animais, mantive contato com a querida Bebel, presidente da SUIPA que, imediatamente nos garantiu a solidariedade, prometendo cuidar com o maior dos carinhos desses animais sofridos. Fica aqui nosso habitual agradecimento a essa guerreira que NUNCA poupa esforços para ajudar os animais.

Chegando a rua 13, no endereço mencionado, o circo estava armado. Centenas de populares, vizinhos e protetores se aglomeravam às portas da residência. A casa tinha um muro baixo, de onde viamos os animais correndo soltos, algumas pessoas no interios (identificamos a maltratante e sua irmã) e logo ao lado da porta, os corpos de 6 cães mutilados, já em estado de decomposição. O cheiro de morte era terrível e empesteva nossas narinas.

Entrada franqueada

Imediatamente começamos a tentar configrar o flagrante. Para tanto eram necessárias testemunhas oculares do ocorrido. Para quem não sabe, só se pode adentrar um domicílio em3 hipoteses: Com o franqueamento do morador, através de mandado judicial ou em flagrante delito. E mesmo com mandado, apenas se pode entrar das 06 AM às 06 PM.

Infelizmente não encontramos testemunhas oculares que pudessem descrever o crime, ou que nos garantissem a confiança necessária para o famoso “pé na porta”…

Diante do impasse tive uma idéia. Chamar a PMERJ (que aliás era necessária, visto a turba que se formava). Com a chegada da viatura e de policiais fardados tínhamos a esperança de que fossemos recebidos pela maltratante… e nesse caso, por experiência, eu sabia que conseguiria uma confissão e mesmo a liberação dos animais ainda vivos.

Esperamos por um bom tempo e a viatura não aparecia. Já eram quase 22h. Nessa hora, recebi a ligação providencial do Cel. Delvo, preocupado com a situação…e foi tudo o que precisavamos. Ele manteve contato com o 18º BPM e, em apenas 5 minutos chegaram 2 viaturas da PM.

Como eu planejava, ao perceber a viatura, finalmente a irmã da maltratante (que temia por sua integridade física) chegou até o muro. Nesse momento, comecei a conversa. Expliquei da gravidade dos fatos, do crime ambiental, montei uma relação de confiança (afinal já fiz isso MUITAS vezes e tenho experiência) e mostrei a ela que, independente de culpa ou inocência, a melhor providência seria a liberação dos animais, através de uma doação solidária. Acho que fomos convincentes, visto que imediatamente ela aceitou a liberação dos quase 20 animais.

Daí me pergunto, por que as autoridades que lá estiveram anteriormente não conseguiram isso?

Adentramos com o franqueamento da moradora à residência eu e um soldado PM (aliás, fica o registro de que a equipe que esteve no local foi extremamente competente e profissional). Imediatamente percebemos as condições sofríveis do local. Fomos conhecer finalmente a maltratante principal. Em uma conversa com a mesma, mesmo não sendo profissionais da saúde, eu e o policial percebemos a condição gritante de debilidade mental da maltratante. Ao ser questionada sobre a morte dos animais, recebemos a seguinte resposta, que reproduzo literalmente aqui:

– É que os vizinhos fazem macumba prá mim. Mandam um fogo que bate em mim e saí, indo bater nos cachorros…daí eles morrem.

Eu perguntei se ela tinha matado os cães, mas ela em momento algum assumiu o ato. Deu a desculpa

Já dentro da casa

da cinomose, de que os cortes eram por brigas dos animis… mas, também não sendo legistas, qualquer um perceberia os cortes feitos a faca e as mutilações nos animais.

Em seguida começamos uma operação de captura dos animais e entrega aos protetores que estavam no local. Foi muito emocionante escutar os gritos de “VIVA” e os aplausos dos populares a cada animal que era passado pelo muro, ou pela porta da residência. Isso mostra como nossa causa tem o apoio dos populares.

Tendo resgatado os animais, comecei um processo de convencio das 2 maltratantes para o comparecimento a delegacia. Sim, isso porque em momento algum a maltratante principal assumiu a agressão aos animais, conforme reproduzido acima. Chegamos a conclusão (eu e o policial) de que seria inutíl levar uma pessoa completamente desequilibrada mentalmente a delegacia. Assim, decidimos levar apenas a co-autorra do crime (a irmã) para ser qualificada.

Terminei a noite na 32ª DP, fazendo um aditamento ao registro feito um dia antes, informando a retirada dos animais e sua guarda na SUIPA.

Infelizmente não temos políticas públicas para animais, as autoridades não se comprometem em casos como esse e para piorar, a Lei é branda nas punições. Mas o mais importante foi que salvamos 16 animais, que certamente não estariam mais vivos a essa hora.

Ficam as ressalvas a equipe da PMERJ que nos prestou todo apoio, ao Tenente Ricardo Nicodemos que sapiu de seu repouso para nos apoiar, a Janaynah por toda a ajuda, ao Jackson que ajudou MUITO com o transporte dos animais e a todas as protetoras que estavam no local (desculpem, mas não consigo lembrar de todas) ou nos telefonaram manifestando seu apoio.

Também o agradecimento especial a SUIPA que recebeu e vai tratar desses animais, assim como comprometeu-se a resgatar os corpos dos mortos e a dar um final d[igno a esses anjos de patas que viraram estrela.

O mais importante é que a sociedade perceba esse problema grave e que tenhamos a senssibilidade de nossas autoridades para modificar as leis, coibindo assim casos como esses.

Fico muito feliz por termos juntos salvo 16 animais, mas sofro pelos 6 mortos e sabe-se quantos mais ao longo desses anos.

(colocarei mais fotos quando a Janaynah enviar, assim como publicaremos em novo post a cópia do R.O)

Proteção Animal de ANGRA pede SOCORRO!

Olá pessoal,

Recorro a cada um de vocês, para que possamos cobrar das autoridades da Cidade de Angra dos Reis sobre a situação difícil pela qual os poucos protetores dessa cidade turística têm passado.

Apenas com a força de cada um de vocês, repassando essa matéria, enviando seus e-mails, telefonando é que conseguiremos mudar a realidade desses animais que, co muita dificuldade têm sido salvos pela APA ANGRA.

Para quem não conhece, a APAANGRA é a Associação Protetora dos animais de Angra dos Reis, formada (como sempre) por pessoas com senssibilidade e amor pelos animais. São populares,

Camil Ariró

veterinários e pessoas que lutam no seu dia-a-dia para salvar vidas dos animais abandonados dessa que deveria ser uma cidade modelo, em vista do alto turismo da localidade.

Atualmente a APA somente recebe alguns quilos de ração provenientes da Secretaria de Meio Ambiente dessa cidade, mas eles precisam de muito mais. Vejam a carta que recebi:

Primeiro agradecemos pela atenção. Segundo, como mostra as fotos fica claro a necessidade urgente em ajudar estes cães e gatos que todos os dias estão sendo abandonados pelas ruas de nossa cidade sem a menor cerimônia, Hoje, sem a ajuda de minha tia avó (falecida em 1 de setembro de 2010) está dificílimo pagar as despesas dos abrigados, hoje com uns 110 cães, sem contar com tantos que não resistiram, recolhidos e tratados, com o maior carinho.  A minha maior preocupação, alem das despesas, é em não poder continuar a abrigá-los.

Árvore caida no caníl

Precisamos  hoje,  com urgência,  ter  recursos  para:
— alimentá-los
— Remédios
— Castração
— Pagamento de funcionários
— Garantir uma receita para que no futuro, quando necessário, pudermos comprar uma nova área para eles, sempre visando lugares sem vizinhança para não criar conflitos por causa de seus latidos. Sempre, por onde passei, logo descobrem o meu amor por eles, e começam a abandoná-los quase todos os dias em meu bairro isto virou um problema sério, com  certeza de que se vê-los eu os recolho. Porque na rua é que eles não podem  ficar ! A APAANGRA os recolherá  com o maior prazer. Não gostamos  de ver animais abandonados, feridos,  sofrendo pelas ruas. Isto não é Cristianismo.
Hoje há a necessidade de melhorias nas instalações que estão podres, em 6 meses já morrerão 4 e estou com um super ferido aqui,!. Temos que faze-las de alvenaria porque a madeira apodrece muito rápido,  eles estão arrebentando as cercas e invadindo outros canis! SOCORRO! Precisamos urgente de melhoria! Temos que fazer uma mureta de proteção entre os canis para poder acabar com as brigas. O espaço que temos da para construir aproximadamente 14 canis de 15 m² cada e dois gatil no mesmo tamanho (o custo de um canil gira em torno de 1.200,00) Agora acaba de chegar mais 4 filhotes com aproximadamente 1 mês!

A APAANGRA ainda desenvolve um belo trabalho de conscientização e educação ambiental em escolas da Região.

VAMOS TODOS COBRAR DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA DE ANGRA A EFETIVA AJUDA A APAANGRA!

Você quer ajudar? Basta enviar seu email para: gpr@angra.rj.gov.br (Gabinete do Prefeito)

Ou ainda através dos telefones: (24) 3377-8311 | 3377-8388 | 3377-1500 | 3365-5405

A APAANGRA também agradece doações. Você pode combinar de doar, ou conhecer o belo trabalho desses guerreiros do BEM através do email: apaangra@gmail.com

POR FAVOR, REPASSE ESSA MATÉRIA A SEUS AMIGOS, VAMOS NOS MOBILIZAR! NÃO PODEMOS DEIXAR ESSE BELO TRABALHO ACABAR!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fazendeiro diz que foi roubado por macaco ‘cavalgando’ cabra na China

É a REVOLUÇÃO DOS BICHOS em andamento!

Se algum dia eles resolverem se vingar, ou se a Natureza se revoltar de vez… o “Bicho vai pegar!”

A última foto é ESPETACULAR!

Do G1

Ye Shu, morador de Donguan, diz que os animais pertencem a circo vizinho.
Porta-voz do circo admitiu que animais não são vigiados após espetáculo.

Um fazendeiro chinês alega que tem tido vegetais roubados por uma cabra e um pequeno macaco, que invade a propriedade “cavalgando” seu comparsa. Ye Shu, morador de Donguan, diz que os animais pertencem a um circo vizinho.

Segundo o o homem, a dupla de animais invade seu terreno quase todos os dias para comer vegetais, e acaba danificando diversos outros. “Isso tem acontecido nas últimas duas semanas, desde que o circo estacionou aqui”, afirma. O caso foi noticiado pelo site Orange News.

Macaco foi flagrado sobre cabra durante a 'ação criminosa' (Foto: Reprodução/Orange News)
Macaco foi flagrado sobre cabra durante a ‘ação criminosa’ (Foto: Reprodução/Orange News)

Ye Shu diz que, primeiro, o símio sobe nas costas do bode para ver se há pessoas trabalhando na plantação. Se não vê ninguém, então ele “cavalga” até o local e os dois começam a comer.

Um porta-voz do circo admitiu que ninguém vigiava os animais depois de eles cumprirem suas apresentações no espetáculo, mas que já compensou o fazendeiro pelas perdas. Segundo ele, o circo pretende contratar mais tratadores para evitar que o incidente se repita.

 

 

Mais de 3 mil animais passam por avaliação em zoológico da Alemanha

Apesar de ser contra Zoos e favorável ao modelo dos Santuários, ainda bem que ainda existem países que se preocupam com a dignidade dos animais.

Do G1

Inventário realizado em Hanover pesa e mede diferentes espécies.
Flamingos, tartarugas, quatis e cangurus passaram por testes nesta terça.

 

Um grupo de flamingos parece desfilar para a câmera fotográfica nesta terça-feira (10), no zoológico de Hanover, na Alemanha. As aves estão sendo pesadas e contabilizadas, ações que são integram o inventário realizado pelos funcionários. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)
Um grupo de flamingos desfila para a câmera fotográfica, de forma coreografada, nesta terça-feira (10), no zoológico de Hanover, na Alemanha. As aves e outros animais estão sendo pesados e medidos, ações que integram o inventário realizado pelos funcionários. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)
Exemplar de tartaruga-aranha (Pyxis arachnoides) é colocada em uma balança de brinquedo no zoológico de Hanover, na Alemanha, nesta terça-feira (10). Durante o inventário anual feito pela administração do local, foram pesados e medidos mais de 3 mil animais de todas as espécies. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)
Exemplar de tartaruga-aranha (Pyxis arachnoides) é colocado em uma balança de brinquedo no zoológico de Hanover, na Alemanha, nesta terça-feira (10). Durante o inventário anual feito pela administração do local, foram pesados e medidos mais de 3 mil animais de todas as espécies. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)
Um quati fica de pé na balança feita especialmente para pequenos animais e que é utilizada por funcionários do zoológico de Hanover, na Alemanha. Ao lado um exemplar de canguru. Durante inventário realizado no começo de janeiro, cerca de 3 mil animais são pesados e medidos. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)
Um quati fica em pé na balança, utilizada na pesagem de pequenos animais durante o inventário realizado por funcionários do zoológico de Hanover, na Alemanha. Ao lado um exemplar de canguru. Durante o censo, realizado no início de janeiro, cerca de 3 mil animais são avaliados. (Foto: Julian Stratenschulte/AFP)