Carteirinha de identidade para Cães – Que tal a idéia?

Então pessoal,

Como muitos já sabem, estou vivendo um drama pessoal por conta do Pit Bull Constantine. Primeiro pela dificuldade que temos encontrado no Rio de Janeiro para adoções e Lares temporários, tudo isso por conta da falta de políticas públicas para animais em nosso Estado e mais particularmente no Município do Rio de Janeiro… depois tem a questão da ignorância das pessoas em confundir raças “Poderosas” com cães anti-sociais… assuntos completamente diferentes,

Então, como minha cabeça sempre pensou melhor em momentos de crise, surgiu uma idéia, e queria a opinião de vocês…

Sabemos que a falta dessas políticas públicas para animais gera abandono, venda indiscriminada, populações de rua gigantescas e casos de maus tratos e abusos. Daí me surgiu uma idéia, que depende do implemento de várias outras, mas nada impossível!

Imaginem uma Lei em que fosse obrigatório o cadastramento de todos os cães de um Município… explico:

A criação de uma “carteira” de identidade canina (no caso dos gatos eu acho que seria bem mais complicado)…

Tá mas e daí?

Quando se compra um carro, não é necessário ter documento? Para provar que você existe, não precisa ter também documentos? Tudo o que compramos não tem nota fiscal???

A idéia não é diferente das de chiparmos animais, mas muito mais barata e passível de ser implantada.

Nessa carteirinha viriam os seguintes dados:

1- Nome do Animal

2- Proprietário

3- descrição (Raça ou SRD, cor, idade presumida no cadastramento, endereço, castrado (sim ou não), etc)

O cadastramento poderia ser feito via internet, ou ainda via postos espalhados no município (os de castração da prefeitura) ou na própria prefeitura.

Você pode me perguntar… tá, mas e daí de novo?

Algumas regras deveriam fazer parte dessa Lei. A primeira e mais importante seria a proibição da comercialização de animais fora de canis regularizados, impondo multas e punições mais efetivas para esses comerciantes inescrupulosos da vida… essas fábricas de filhotes que encontramos espalhadas pelas cidades. Claro que Petshops (desde que regularizadas e com todas as regras para o bem estar dos animais) poderiam vender, desde que com proveniência do animal.

Aqui faço uma ressalva de que, querer impedir a venda de animais seria o ideal, mas uma utopia que não se realizará… então, busquemos a melhor das soluções!

A segunda providência seria a necessidade de castração OBRIGATÓRIA dos Animais… ou seja, se você não é criador LEGALIZADO, para que quer um cão “inteiro”?

Seria dado um prazo de 3 meses à partir do cadastramento do animal adulto para sua castração e de 1 ano para filhotes. E após a castração, o animal obrigatóriamente deveria ser recadastrado.

Abrigos e protetores autônomos teriam uma licença que os permitiria terem animais em condições diferentes, mas também deveriam cadastrar esses animais num cadastro genérico do Abrigo/protetor.

A pessoa que fosse flagrada (na rua ou em sua residência) com um animal sem cadastro, ou em condições diferentes do que manda essa lei, estariam sujeitos a uma multa que fosse efetiva…

Junte as peças agora… teríamos o fim do comércio clandestino de cães, a diminuição da população de rua (por causa das castrações), um maior controle contra o abandono e a possibilidade de mensurar políticas públicas baseadas no conhecimento do plantel de um município.

Claro que a idéia precisa ser aprimorada, estudada, que possúi falhas como a questão da castração (muitos não tem recusrsos e as gratuitas estão mais difíceis que agulha em palheiro) e que críticas surgirão… mas eu vejo como uma possibilidade, como um caminho… E você?

 

 

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

Deixe uma resposta