Após ataques, conselho cria normas para observação de onças em MT

Ahahahahahahahahaha!

Se não tem fiscalização para quem caça, que dirá para quem observa… esse pais já tá bem cheio de leis e regras ambientais, o que falta é fiscalização e punição!

(do g1)

Turistas devem atender recomendações na hora de observar animais.
Ataques por animais cresceram nos últimos anos no estado.

Uma resolução aprovada pelo Conselho Estadual de Meio Ambiente (Consema) deve tornar mais rígido o turismo de observação de onças em Mato Grosso. É que agora os observadores devem se atentar para uma série de recomendações na hora de observar o animal. A medida foi criada para garantir a segurança, já que muitos turistas costumam se arriscar na hora de fotografar o mamífero.

Nos últimos anos, casos de ataques de onça aumentaram no estado. Uma das vítimas, um adolescente de 16 anos, foi ferido após ser atacado por uma onça enquanto pescava com o pai no Rio Paraguai, em julho do ano passado. Eles estavam próximos ao barranco quando a onça pulou no barco para atacar o jovem.

“Ficou mais fácil da fiscalização estar atuando, mas sempre lembrando que esta resolução tem também o caráter educativo”, avaliou o analista Pedro Julião de Castro Borges, da Secretaria de Meio Ambiente de Mato Grosso (Sema).

Pelas normas aprovadas, durante a observação só poderão ser usados máquinas, filmadoras, binóculo e luneta. Está proibido o uso de qualquer objeto ou instrumento sonoro, visual ou que exale cheiro para não alterar o comportamento do animal.

As embarcações deverão manter uma distância segura e no máximo 20 minutos de permanência no local. “Se não houver este tipo de regulamentação, os turistas podem ser colocados em situação de risco”, pontou o biólogo Rogério Rossi.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

Deixe uma resposta