IBAMA presta esclarecimentos públicos em primeira mão ao Atitude Animal (sobre o leão Yuri)

Pessoal,

Recebi hoje uma solicitação do pessoal da FAUNA do IBAMA, para trazer a público as informações técnicas sobre o caso Zoonit, inclusive sobre os leões.

Cabe ressaltar que tal contato se deu pelo respeito que adquirí ao longo de meu trabalho na ALERJ, muitas das vezes em parceria com a Superintendência Rio de Janeiro desse órgão Federal.
Como eu disse antes, é sempre melhor não julgar antes das explicações, ainda mais de um órgão FEDERAL.
Pelo lado contrário, posso afirmar que conheço muito bem aquilo que chamam de Zoológico de Niterói, mas que eu poderia dar uma centena de nomes menos pomposos!

Abaixo, reproduzo as informações enviadas:

_______________________________________________________________

Boa tarde:
Estamos encaminhando, em anexo, informação repassada à imprensa.
Para mais detalhes, ressaltamos mais uma vez que os laudos e
informações técnicas elaboradas pelos analistas ambientais do Ibama
são documentos públicos, podendo ser consultados.
Att.
Núcleo de Fauna

Quanto às últimas matérias veiculadas pela imprensa sobre a retirada dos leões da Fundação Jardim Zoológico de Niterói (ZooNit), cabem muitos esclarecimentos e correções.

1. A Fundação Jardim Zoológico de Niterói (ZooNit) tem criticado duramente a ação do IBAMA sobre a transferência de leões de suas dependências, bem como os profissionais dos Zoológicos que receberam os animais. Todos os procedimentos foram realizados por Médicos Veterinários com grande experiência em manejo de grandes felinos. Por outro lado, o Médico Veterinário do ZooNit foi contratado há cerca de um ano, após a saída dos dois profissionais que acompanhavam os animais do plantel.

2. O ZooNit não possui registro no IBAMA como zoológico, pois nunca cumpriu integralmente as exigências mínimas para a obtenção da licença. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), de 2004, celebrado como tentativa de regularização e concessão da licença para funcionamento do Zoológico, também não foi cumprido integralmente, constatado por vistoria em março de 2007.

3. Em 2010, O IBAMA/RJ vistoriou novamente o ZooNit, observando dezenas de gatos domésticos (alguns doentes) na área externa, recintos de exposição e cozinha. Os animais domésticos podem ser fonte de contaminação do plantel silvestre e oferecem risco de zoonoses ao público.

4. Dos cinco leões (Yuri, Elza, Naila, Sansão e Dengo) mantidos pelo ZooNit em 2011, três (Yuri, Naila e Sansão) foram testados para o Vírus da Imunodeficiência Felina (FIV) ou AIDS Felina, com resultado positivo para todos os animais. Isso demonstra a ausência de controle sanitário dos animais do plantel e o total desconhecimento da real condição de saúde dos animais. A FIV está comumente associada a gatos domésticos.

5. Até dezembro de 2009, o ZooNit mantinha sete leões (Yuri, Elza, Naila, Sansão, Dengo, Dalila e macho de nome desconhecido) em suas dependências, sendo que dois animais morreram em menos de um ano (Dalila e macho de nome desconhecido). Segundo laudo de necropsia, o último morreu abaixo do peso, com presença de grande quantidade de tumores e outras alterações orgânicas.
O ZooNit não apresentou o laudo de necropsia ou a causa mortis de Dalila.

6. Em 2010, os seis leões do ZooNit eram mantidos em rodízio entre o cambiamento (área de contenção) de 4m² e nos 2 recintos de exibição, com piso de cimento, sem área de fuga e ambientação. Foram encontradas latas de cerveja estocadas no corredor de segurança e vísceras de frango embaladas em plástico fornecidas como alimentação.

7. O Leão Yuri foi transferido para o Zoológico de Brasília em fevereiro de 2011. Logo após sua chegada foi observado problema em seu dente canino inferior direito. O animal foi medicado e, como não apresentou melhora do quadro, passou por avaliação odontológica especializada, sendo constatado abscesso e perda óssea mandibular. A biopsia do material acusou carcinoma de células escamosas, tumor maligno agressivo e com alta taxa de recidiva. O tratamento disponível incluía a retirada da mandíbula e radioterapia/quimioterapia, que causaria sofrimento crônico e definhamento do animal, com grandes chances de retorno do tumor após alguns meses. Dessa maneira, a conduta indicada foi a eutanásia, em conformidade com a ética profissional. O animal apresentou sorologia positiva para FIV, entretanto, não houve correlação entre a doença e a eutanásia do leão. A retirada de Yuri do ZooNit não influenciou a manifestação e evolução do tumor, bem como o prognóstico da doença.

8. A Leoa Elza foi transferida para o Zoológico de Brasília em fevereiro de 2011. Está no Setor Extra, que possui 40m², para procedimentos de quarentena. Ainda não foi testada para FIV. Não apresenta perda de peso ou alterações de comportamento e está clinicamente bem.

9. A Leoa Naila foi transferida para o Zoológico de Volta Redonda. Devido ao peso excessivo do animal, os técnicos elaboraram dieta especifica para perda de peso gradual, associado a exercícios em um recinto gramado de 1800m², com o objetivo de aumentar a expectativa de vida do mesmo. Apresentou sorologia positiva para FIV.

10. O Leão Sansão permanece no ZooNit, sem a companhia da Leoa Dalila, que veio a óbito em dezembro de 2009. Embora convivesse há anos com a leoa, Sansão não manifestou nenhuma alteração clínica ou comportamental após a separação. Apesar de estar no ZooNit desde 2000, estranhamente sua ficha clínica apresenta apenas três anotações. O animal apresenta sorologia positiva para FIV.

11. O Leão Dengo permanece no ZooNit. Segundo informações do Zoológico, o mesmo vivia com a leoa Elza há mais de 8 anos e tem apresentado falta de apetite (já teria perdido 8Kg)e depressão desde a transferência da leoa. Entretanto, Elza deu entrada no ZooNit em junho de 2008 (portanto, há menos de três anos) e teve parte da cauda amputada em dezembro de 2010 após briga com Dengo. Dengo, nascido no próprio ZooNit, apresenta atrofia (devido à dieta inadequada) e retenção de fezes, com dificuldade para evacuar. Trata-se portanto, de animal com problemas crônicos de saúde, alguns causados exclusivamente por erros de manejo cometidos durante sua vida em cativeiro. Tendo em vista que o ZooNit não divulgou o parâmetro utilizado para confirmar a perda de peso, o IBAMA/RJ buscou as fichas clínicas do animal. Não foi observado nenhuma anotação de peso ocorrência de alteração clínica ou comportamental, ou qualquer tentativa de reversão de problemas constatados após a retirada de Elza. O último peso do animal (55Kg) consta como ocorrência em 2001. O animal foi testado para FIV, porém o resultado ainda não foi entregue ao IBAMA.

Finalmente, esclarecemos que o IBAMA tem agido, e assim continuará, em defesa do Patrimônio Nacional (Fauna Silvestre), por dever de sua atribuição e não por decisão de processo judicial que esteja tratando da matéria.

FOTOS

Cozinha do ZooNit (MAR/2010).

Recinto dos Leões (MAR/2010). Presença de cerveja

Presença de gato-doméstico. alimentos e entulho no corredor de segurança.

Recinto dos Leões (MAR/2010). Cambiamento de 4m² onde Naila (FEV/2011). Animal obeso.
ficavam dois leões diariamente.

Yuri (ABR/2011). Aparência externa do tumor. Yuri (ABR/2011).

Aparência do tumor após procedimento
odontológico.

_______________________________________________

Bem, as explicações foram dadas e, como já mencionei várias vezes, eu conheço aquela realidade e atesto as informações aqui prestadas pelo IBAMA. Está aí o tumor, estão ai as fotos.

Espero que as pessoas não se permitam a cair no joguinho de sentimentalismo do Zoonit e sua presidente que, ao longo dos anos teve todas as oportunidades para tornar aquele local um local com um mínimo de respeito aos animais.

Volto também a repetir que, continuo sem resposta até hoje da diferença gritante do plantel daquele Zoo… para onde foram os ANIMAIS???

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

2 respostas para IBAMA presta esclarecimentos públicos em primeira mão ao Atitude Animal (sobre o leão Yuri)

  1. DBARROS diz:

    Só uma pergunta: Como, através destas fotos, acreditar na administração do ZOONIT, os sites abaixo dão informações que um mesmo veterinário está no Zôo desde 2001 como chefe dos veterinários, mas pelas as fotos parece que o Zoológico de Niterói estava ao leu. Como pode este lugar ser chamado de “referência no tratamento e respeito à vida selvagem.”. Em uma entrevista é dito que “O veterinário do Zoo não liberou nenhum leão para viajar”, só pode ser piada, o IBAMA tem poder de polícia ambiental, executa ações das políticas nacionais de meio ambiente, referentes às atribuições federais, relativas ao licenciamento ambiental, ao controle da qualidade ambiental, à autorização de uso dos recursos naturais e à fiscalização, monitoramento e controle ambiental…, sendo assim não precisa que o veterinário do Zôo libere o que quer que seja, até porque foram contatadas irregularidades no Zoonit que se quer, de acordo com o IBAMA, deveria estar funcionando. Quanto mais leio as notícias mais desacredito no Zoonit.

    SITES COM OUTRAS NOTÍCIAS

    http://biodiversityreporting.org/article.sub?docId=416&c=Brasil%20Impreso&cRef=Brazil%20Print&year=2002&date=August%202001

    “A constatação foi feita ontem pelo veterinário André Sena Maia, da Fundação Jardim Zoológico de Niterói. A fundação resolveu colaborar com a alimentação dos animais, que, como foi noticiado ontem pelo jornal, vinham recebendo apenas quatro quilos de carne por semana, quando o ideal seriam quinze”

    http://oglobo.globo.com/rio/mat/2011/06/07/leao-yuri-veterinarios-do-zoo-de-niteroi-contestam-versao-do-ibama-924632968.asp

    “De acordo com outro veterinário, Andre Sena Maia, que trabalhava no Zoo em 2006, quando Yuri foi resgatado, o leão não estava com nenhum tumor na boca naquela época, como afirmou a nota do Ibama. Ele ressalta, ainda, que um carcinoma costuma matar rapidamente, e que o animal não resistiria tantos anos com a doença.
    _ Achei uma falta de ética, terem eutanasiado o animal sem terem consultado os veterinários que cuidavam dele antes – diz André Maia, que também ressaltou o fato de os leões terem sido transportados sem atestado do médico veterinário que o tratava – Ele pode ter piorado devido ao estresse do transporte rodoviário. O veterinário do Zoo não liberou nenhum leão para viajar – completa. “

    http://extra.globo.com/noticias/rio/zoologico-diz-que-nao-se-trata-de-habeas-corpus-mas-de-transferencia-372653.html

    “O macaco mora no zoológico há 11 anos e vive em um espaço que custou cerca de R$ 78 mil. O chefe dos veterinários do ZooNit, André Sena Maia, desconfia de que a ONG tenha interesses financeiros em levar o animal.”

  2. DBARROS diz:

    “… para onde foram os ANIMAIS???”

    É BOA ESTA PERGUNTA, DE ACORDO COM AS LEIS DA FÍSICA, ÁGUA EVAPORA, MAS ANIMAIS EM UM RECINTO NÃO, ENTÃO PARA ONDE FORAM OS ANIMAIS, JÁ QUE DE ACORDO COM NOTÍCIA DO SITE http://planetasustentavel.abril.com.br/noticia/ambiente/conteudo_268559.shtml

    “Zoonit recebe por dia de três a quatro bichos para tratamento. “Resgatamos e reabilitamos em média mais de 1.000 animais por ano…

    SÃO MUITOS ANIMAIS PARA UM ESPAÇO TÃO PEQUENO COMO É O ZOONIT E ONDE ELES ESTÃO O QUE OCORREU COM ELES? TODOS OS ZOOS TEM QUE TER REGISTRO DOS ANIMAIS QUE ENTRAM E QUE SAEM COM INFORMAÇÕES TAIS COMO, QUANDO E PORQUE ENTROU E COMO QUANDO E PORQUE SAIU. QUANTO MAIS LEIO AS NOTÍCIA, INCLUSIVE AS ANTIGAS, MAIS DESACREDITO NA ADMINISTRAÇÃO DO ZOONIT.

Deixe uma resposta