E a Rede Globo tá “MAR” mesmo!

Pois é pessoal,

Ontem, por volta das 15:00h, estava eu, curtindo um belo Risoto de queijo (que eu mesmo fiz) quando, ao passar pela sala, quase tive uma indigestão! Estava anunciando na Vênus Platinada, o programa Globo Mar, mostrando cenas de pesca com espinhel e um tubarão capturado. Na chamada ouvia-se algo como “A melhor pesca acontece em águas profundas, e nossa equipe levou 20 horas para chegar até o local…”.

Nem precisava ser vidente para imaginar os absurdos que deveriam vir pela frente. Na intenção única de alertar, postei no Facebook uma chamada de alerta, e recebi alguns posts de consolo, afirmando que a reportagem seria, pelo contrário, elucidativa na questão da pesca dos tubarões. Doce ilusão!

O que vimos no programa foram cenas de descaso, um repórter tripudiando e fazendo comentários jocosos como “a diferença entre o cação e o tubarão é que o cação nós comemos e o tubarão é que nos come”, apologia ao uso do espinhel (que para quem não sabe é predatório, que “pega” o que passar pela frente, até pássaros pescadores), a hedionda prática do sharkfinning e a total falta de informação, chegando ao ponto de mostrarem a famigerada sopa de barbatana de tubarão, sem qualquer comentário sobre a destruição do meio ambiente e, por consequência, mesmo da raça humana!

Para quem não leu, escrevi um texto aqui no ATITUDE ANIMAL, que já recebeu mais de 12.000 acessos, chamado “Tubarões, os senhores da vida” onde esclareço a importância desse seres maravilhosos para a continuidade da vida no planeta! Vou aproveitar o espaço para esclarecer ao repórter (quem sabe ele dá uma passadinha aqui), sobre alguns pontos importantes.

No ano de 2010, eu recebi das mãos de meu querido amigo e “mestre”, o Pinguim (Paulo Guilherme) o prêmio Platinum 1000, no auditório Nelson Carneiro na Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro. Foi um reconhecimento dado aos mais de 1000 mergulhos autônomos dedicados a preservação do meio ambiente marinho (e vale a informação que o Pinguim é detentor do Platinum 5000), prêmio dado anteriormente a personalidades como Jacques Cousteau e seu filho Jean Michel. Naquela oportunidade, aproveitei meu discurso para alertar sobre os perigos da pesca predatória e particularmente sobre a destruição dos tubarões.
Se há 25 anos, quando dei meu primeiro mergulho, a realidade fosse a atual, provavelmente eu não teria chegado sequer a 10 mergulhos em Logbook. Primeiro porque talvez a raça humana nem mais estivesse nesse planeta. Nem todo mundo sabe, mas, temos menos de 30 anos até que se esgotem os grandes peixes de nossos oceanos, e com eles, a camada atmosférica que é formada em mais de 80% pelo plâncton. Depois porque, pouco se teria a preservar e a observar em nossos mares.

Na questão particular dos Tubarões, senhor repórter, esclareço:

1- Mais de 70 milhões de tubarões são mortos todo ano só pra virar Sopa de Barbatana.

2- Tubarões não são assassinos, o homem não faz parte de seus cardápios.

3- Ocorrem mais relatos de mortes por “pisoteamento” de vacas e elefantes que por tubarões todos os anos.

4- Tubarões são o TOPO da cadeia alimentar dos mares. Dentre suas principais funções está a de manter o controle populacional dos oceanos. Eles impedem a proliferação de pequenos peixes, que são os predadores naturais do plâncton. O Plâncton ( Zoo e fito) é o responsável pela maior parte da formação de nossa camada atmosférica.

5- Por se alimentarem de animais e peixes doentes, feridos ou mortos, contribuem também para a manutenção da salubridade dos oceanos.

Então querido repórter, na próxima vez que for falar sobre tubarões, prenda a respiração. Assim quem sabe acaba não falando tanta besteira?
No mais pessoal, realmente a GLOBO tá indo de “MAR” a PIOR!

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

Deixe uma resposta