Periquito ciumento gosta de ser o centro das atenções do dono na BA

Deu no G1

 

A ave acompanha o dono para todos os lugares, inclusive para a academia.
Animal adora macarrão, carne, peixe e açaí com mel e banana.

Um periquito vem despertando a curiosidade de moradores do sul da Bahia. A relação do animal de estimação com o dono é de carinho.

Nano, como é chamado o periquito, tem tratamento de gente, e se sente até ciúmes do dono, Rafael Benevides, que conta que Nano quer sempre ser o centro das atenções. Até para academia ele acompanha o dono.

Nano não vive preso à corrente, por isso pode voar para onde quiser, mas escolheu ficar na casa de Rafael. O jardim em volta se assemelha ao habitat do periquito. Nano mora no lugar há três anos.



Rafael conta que encontrou o pássaro ferido na fazenda de um amigo e decidiu adotar. De lá pra cá, a relação dos dois ficou tão próxima que o periquito não quer ir embora de jeito nenhum. “Nano é praticamente um ser humano. Tudo que eu faço ele faz. No café da manhã ele come o que eu como – açaí, suco, sanduiche. Ele adora macarrão, adora carne, adora peixe, frutas também ele come. Tudo que a gente come, tem que dar pra ele, porque se não der, ele toma, fica chateado. Ele vive a vida de um ser humano, Fica o dia inteiro com a gente. Ele é dependente das pessoas”, explica o dono do pássaro.

Rafael e Nano são como pai e filho. O periquito acha que é filho único. Mas, ele precisa dividir espaço com os irmãos: os três cães de Rafael. A convivência com os dois maiores é até amigável, mas Zóio, o irmão caçula sofre. Nano fica enciumado e sempre que o cachorro chega perto do dono Rafael ele coloca Zóio pra correr.

“Bastante ciumento. Quando encosta alguém, ele se arrepia igual a um cachorro”, conta Rafael que completa dizendo que ele dá limite ao periquito. Quando leva a namorada para casa, por exemplo, ele pede pra Nano não entrar no quarto. “É um problema. Já botei ele várias vezes para fora do quarto. Tem vez que ele quer dormir lá no quarto, e eu não deixo, porque ele fica fazendo zoada de noite, derrubando tudo.”

Quem cuida do pássaro na ausência de Rafael é a mãe dele, dona Ana Matilde. Ela fala que nem ela pode chegar perto do filho porque o periquito avança. “O periquito é muito ciumento. Precisamos levar ele para uma terapia”, conta a avó adotiva do periquito.

Todo dia eles fazem tudo sempre igual

Nano é um periquito que mais parece gente. Na hora de comer, ele é gentil. Prefere esperar pelo dono. É Rafael quem coloca a comida na mesa. E os dois tomam juntos o café da manhã. Nano adora biscoito salgado e açaí com mel e banana. O café da manhã é reforçado porque o dia dos dois é puxado.

periquito tomando açai (Foto: Reprodução/TV Bahia)
Nano adora açaí com mel e banana
(Foto: Reprodução/TV Bahia)

Parece que a hora que Rafael sai de casa é a preferida de Nano, ele adora passear. Para qualquer lugar que o pai adotivo vai, o periquito vai atrás, voando, é claro. E sabe voltar para casa sozinho.

Mas se depender de Nano, ele fica o dia todo com Rafael na rua, mas o dono dele precisa trabalhar e nesse caso Rafael dá o comando para que ele volte pra casa. O que não acontece quando os dois vão para a academia logo cedo.

Como já chegou aquecido da ‘corrida’, o periquito deixou todo o trabalho pesado para o pai. Ele acompanha tudo de cima do aparelho que Rafael usa. Enquanto o dono se exercita, Nano só observa. Quando Rafael troca de equipamento, o periquito não vacila e vai atrás. Quem frequenta a academia já está acostumado com a presença do periquito. Mas todos já sabem que é bom não se aproximar muito de Rafael, senão o segurança entra em ação. “Ele é um pouco ciumento. Tem que pensar duas vezes antes de encostar nele”, conta Carla Mendonça, professora da academia que Rafael frequenta.

Adicionar aos favoritos o Link permanente.

Add a Facebook Comment

Deixe uma resposta