É muita cara de Pau! vereadora que queria matar bichos diz que foi mal interpretada!

Olha, eu fico pasmo com a cara de pau… Está lá no vídeo… registrado! Como ela pode agora dizer que foi mal interpretada?

Diz ainda que está sendo ameaçada até de morte! Não duvido, mas quem fala o que quer, escuta por vezes o que não quer.

Ao menos a nossa pressão deu resultado dessa vez!

Confiram no vídeo em:

http://terratv.terra.com.br/videos/Especiais/Noticias/4416-365869/Vereadora-que-sugeriu-matar-animais-diz-estar-sendo-ameacada.htm

Saiba quais plantas podem intoxicar seu gato

Pois é… já ouvi muitos tutores dizerem: “cachorro e gato sabem a planta que podem comer…tem instinto!”

Isso não é uma verdade absoluta. Não podemos nos esquecer que são animais domésticos, que muitas das vezes NUNCA tomaram contato com aquela planta em particular, ou que são muito curiosos!

Assim, saiba como se previnir!

(do R7)

Alguns vegetais não fazem mal a humanos, mas podem prejudicar bichanos; entenda

Os gatos são animais curiosos por natureza. Quem tem um bichano em casa sabe o quanto ele adora bisbilhotar o novo vaso de plantas que seu dono acaba de comprar.

Entretanto, é importante saber com qual planta ele está se divertindo ou de qual está se alimentando, pois algumas podem colocar em risco sua saúde.

De acordo com Estela Pazos, veterinária pós-graduada em medicina felina, geralmente as plantas que possuem flores são as mais venenosas para os gatos.

– Elas possuem toxinas perigosas para eles e podem causar insuficiência renal, desidratação e intoxicação grave, levando-os até mesmo à morte.

Há casos em que o gato não precisa, necessariamente, ingerir a planta para se intoxicar.

Algumas liberam líquidos ou possuem veneno nas folhas. Ao entrar em contato com o bichano, essas substâncias podem contaminá-lo.

– A mais perigosa é o lírio [além de seus derivados]. Mas há outras também bastante venenosas. Bons exemplos são: antúrio, bico-de-papagaio, azaleia, copo-de-leite, babosa, comigo-ninguém-pode, coroa-de-cristo, costela-de-adão, mamona, espirradeira, hortênsia, tulipa, mamona, violeta e dracena. Além de proibida no Brasil, a maconha é nociva aos bichanos.

Se você possui alguma dessas plantas e um felino em casa, o negócio é seguir a dica de Cecy Passo, consultora especializada em gatos: deixe-as em uma altura em que o gato não consiga pegar.

Apesar de tantas opções tóxicas, há, também, plantas que fazem bem para os felinos. Segundo Cecy, a hortelã e o catnip são ótimas opções para acalmar o felino. A segunda opção, aliás, tem fama de causar efeito alucinógeno entre os bichanos. Mas a especialista desmente.

– Essa planta já chegou a ser associada à maconha, o que eu acho um desrespeito. Elas não têm absolutamente nada a ver uma com a outra, não é alucinógena. Apenas relaxa o felino, deixando-o mais descontraído para brincar.

Outras opções benéficas para os felinos domésticos são o mato ou  capim.

– Gatos fazem a higiene pessoal com a língua, então, ingerem muito pelo. Para eliminar a pelagem ingerida, comem mato ou capim para ajudar na digestão.

 

Tratadoras posam de biquínis para lançar piscina de pinguins em zoo

Pois é, isso é o que chamo “se dar” pela causa!

Mas cá entre nós, percebendo a silhueta, o bronzeado e a “beleza” das moçoilas, posso entender porque os pobres pinguins estavam todos acuados do outro lado da piscina!

 

(do G1)

Aves marinhas ganharam nova piscina no zoo de Londres.
Evelyn Guyett e Rowena Fisher transformaram local em praia.

As tratadoras de animais Evelyn Guyett e Rowena Fisher posaram nesta quinta-feira (25) de biquínis ao lado de um grupo de pinguins para marcar a abertura de uma nova piscina das aves marinhas no zoológico de Londres, na Inglaterra.

Evelyn Guyett (esq) e Rowena Fisher posam ao lado da nova piscina dos pinguins. (Foto: Suzanne Plunkett/Reuters)
Evelyn Guyett (esq) e Rowena Fisher posam ao lado da nova
piscina dos pinguins. (Foto: Suzanne Plunkett/Reuters)

Raro filhote de kiwi albino nasce em zoo da Nova Zelândia

Pessoal, que bonitinho!

Para quem não sabe o Kiwi é o páasaro símbolo da Nova Zelândia e tem característica fantásticas e diferenciadas.

(do recanto das letras)

Os kiwis vivem aos pares e têm um único parceiro por toda a vida. Eles produzem ovos enormes (apenas um por ano), dez vezes maiores que os de uma galinha e com peso aproximado de 450 gramas, podendo representar até 20% do peso das fêmeas – o maior de todos os pássaros em relação ao tamanho do corpo.

O kiwi quase pode ser considerado um mamífero honorário. Ele parece um porco-espinho, alimenta-se e tem o olfato de um porco-espinho, mas na verdade é uma ave. Na Nova Zelândia, onde não há porcos-espinhos, esse estranho animal preenche o nicho ecológico ocupado pelos pequenos mamíferos espinhosos com os quais se assemelha. Ele tem todos os sentidos e a constituição física adequada para fuçar as folhas que cobrem o solo e para cavar a terra em busca de minhocas, lesmas e outros petiscos suculentos. Procurando comida à noite ele fuça o chão com seu bico longo e sensível, e enquanto a maioria das aves usa o tato ou a visão para esquadrinhar o solo e encontrar o seu alimento, o kiwi usa o olfato, valendo-se das narinas que tem na ponta do bico e dos receptores olfativos alojados na base do seu sistema respiratório. Sua membrana olfativa é dobrada em forma cilíndrica (convoluta), como a dos cães, para aumentar a área da superfície, mas embora o kiwi por causa disso possa parecer incomum, seu olfato não o torna o único com essa característica no mundo das aves.

(do G1)

Nascido há três semanas, filhote foi exibido por zoo em Wellington.
Acredita-se que a ave, típica do país, é a 1ª albina a nascer em cativeiro.

kiwi albino (Foto: Pukaha Mount Bruce National Wildlife Centre, Mike Heydon, Jet Productions / AP)
Um raro filhote de kiwi albino, ave típica da Nova Zelândia,
é exibido no Pukaha Mount Bruce National Wildlife Centre,
em Wellington  (Foto: Pukaha Mount Bruce National Wildlife
Centre, Mike Heydon, Jet Productions / AP)
pesquisadores kiwi albino (Foto: Pukaha Mount Bruce National Wildlife Centre, Mike Heydon, Jet Productions / AP)
Pesquisadores observam o kiwi albino; acredita-se que
a ave, que recebeu o nome de Manukura, é a primeira da
espécie albina a nascer em cativeiro
(Foto: Pukaha Mount Bruce National Wildlife
Centre, Mike Heydon, Jet Productions / AP)