É nesse sábado – 10ª Campanha de Adoção! Na Lagoa!

PESSOAL!

Só lembrando que o Atitude animal apoia completamente as campanhas de adoção do G.A.R.R.A!
Gostaria de convidar a todos que possam comparecer nesse sábado que o façam. Levem doações de ração, jornais, remédios e tudo o mais que possa ajudar ao G.A.R.R.A, e se não puder doar em matéria, venha doar um pouco do seu tempo… Passear com os cães, ajudar na organização ou mesmo nas adoções!
Conto com os amigos!

Só lembrando… MAIS UMA VEZ O PASTEL VAI ESTAR PARA ADOÇÃO… VAMOS FAZER UMA CORRENTE POSITIVA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Amigos,

Estamos a todo vapor, começando os preparativos para a próxima campanha de adoção do G.A.R.R.A.

Nessa edição, contaremos mais uma vez, com a participação dos nossos amigos da proteção animal (Protetores independentes) e com um espaço especial para a turminha do Solidariedade Região Serrana.

Essa Campanha é muito especial para todos nós.

Em primeiro lugar, porque Maio é o mês das mães e tudo que os nossos pequenos mais querem é justamente encontrar suas famílias!

Em segundo lugar, porque estamos chegando perto de um número mais que especial: 200 adoções!

Sim! Falta muito pouco para completarmos 200 adoções!

Por esse motivo, convocamos todos a comparecerem!

Venha fazer um carinho nos nossos Garrinhos!

Eles adoram receber a visita dos amigos!

Temos cães e gatos lindos disponíveis para adoção!

Todos saudáveis, vacinados, vermifugados e castrados!
10ª Campanha de Adoção do G.A.R.R.A. & Amigos
Local: Parque dos Patins – Lagoa
Data: 14 de maio – sábado
Horário: 10:00 as 16:00hs

No local estaremos vendendo camisetas, bonés, bandanas, eco bags e havaianas do G.A.R.R.A.

Colabore com o nosso trabalho, doe:

Ração para cães – adultos ou filhotes
Ração para gatos – adultos ou filhotes
Ração de Filhotes – cães e gatos
Ração pastosa (latinhas) Para o vovô Chacrinha
Tapete Higiênico – para o Vovô Chacrinha
Areia Higiênica para gatos
Anti-pulgas para cães e gatos
Coleiras carrapaticidas
Capstar – gatos e cães – veterinário
Baytril 150 Mg
Maxicam Plus 2.0
Vermífugos para adultos e filhotes
Condroton ou Artrim – Para os vovôs: Pierre – Açaí e Chacrinha
Medicamentos de uso veterinário ou humano
Produtos para Pets (mesmo usados)
Transportes
Cercados
Casinhas
Toalhas, cobertores, lençóis e edredons usados
Produtos de limpeza e jornais
Doação Financeira

————
Pedimos aos amigos que divulguem essa mensagem!
Aos amigos que puderem, imprimam e colem pela Cidade o nosso Cartaz!
Informações: adote@garranimal.com.br

O G.A.R.R.A. precisa MUITO da ajuda dos amigos.

Muitas pessoas estão no exterior e gostariam de enviar uma colaboração, mas não sabem como.

Pensando nisso, criamos uma conta no Pagamento Digital, onde todos poderão colaborar com o nosso trabalho.

Além das contas que já temos disponíveis:

Banco do Brasil
Agência: 4059-2
Conta Corrente: 14994-2
Adriana de Oliveira Neves
.
Banco Itaú 341
Agência: 0598
Conta Corrente: 47041-7
Renata da Silva Prieto

Veja como é feito soro contra veneno de cobra

Pessoal, matéria MUITO boa. Para quem não sabe como é feito, vale muito conferir.

(do R7)

Da captura da serpente à fabricação do antídoto para sua picada, acompanhe o processo

O Brasil é o país que tem a maior população de cobras do mundo.

Com isso, há também, muitos estudos e diversos procedimentos de extração de soro venenoso para a produção de antídoto (o soro antiofídico).

Para mostrar como funciona esse processo, a equipe do programa Tudo a Ver (Record) visitou o laboratório de extração de veneno do Instituto Butantã, na capital paulista.

Mas todo esse procedimento, que salvará vidas de milhares de pessoas, começa com a busca da matéria-prima dos venenos: as serpentes vivas.

Para isso, uma equipe especializada é encaminhada para um local um tanto quanto perigoso: a ilha das Cobras. Localizado na Ilha de Queimada Grande, o local possui mais de 3.000 víboras peçonhentas.

São necessários muitos profissionais trabalhando oito horas diariamente, durante cinco dias por semana, para produzir antídoto para picadas em quantidade suficiente.

Na hora da extração, é preciso manusear a serpente venenosa com cuidado, pois o risco de ser picado é maior.

Antes de ter seu veneno retirado, a cobra é colocada em um recipiente com gás carbônico durante cinco minutos. Lá, acaba adormecendo.

O efeito sonífero permanece por dois minutos, tempo suficiente para a extração. Porém, a cobra pode acordar antes do tempo determinado.

Para o procedimento, são necessários dois responsáveis: um pressionara cabeça da serpente (local onde está a glândula de veneno) e outro segura o corpo da cobra.

O líquido venenoso, depois, é encaminhado para uma sala de processamento e passará por uma centrífuga, onde as impurezas ( como muco ou células de sangue) serão removidas.

Em seguida, o veneno é pipetado em frasco e levado para um refrigerador, onde ficará a uma temperatura de 20°C negativos.

A substância, então, é transformada em vacina e encaminhada para uma fazenda, onde será injetada em um cavalo, para a criação de anticorpos (que resultarão no antídoto).

Ao contrário do que parece, especialistas afirmam que esse procedimento não envenena o cavalo contaminado.

Após ter o veneno já processado injetado na sua veia, o cavalo passa por um exame de sangue. Em seguida, será separado o plasma (parte líquida do sangue) do animal.

Esse plasma será enviado para a capital paulista, purificado e transformado, finalmente, em soro antiofídico (o antídoto contra picada de serpentes peçonhentas).

Cachorro também pode ter sido envenenado em Ribeirão Preto

 

(do G1)

34 gatos e quatro gambás foram encontrados mortos em bosque da cidade.
Polícia procura suspeito de ter envenenado os animais.

Um cachorro foi encontrado morto nesta terça-feira (10) na região do Morro de São Bento, em Ribeirão Preto, a 313 km de São Paulo, na mesma região em que 34 gatos morreram. Os corpos de quatro gambás também foram encontrados. A polícia investiga o caso, e trabalha com a hipótese de envenenamento.

Os primeiros animais mortos foram encontrados nesta segunda-feira (9). No dia, 26 gatos foram localizados. Eles viviam soltos em uma região que compreende um bosque, o zoológico da cidade e prédios públicos.

Veterinários do zoológico examinaram alguns corpos e acharam sinais de envenenamento por chumbinho, usado para exterminar ratos e que tem a venda proibida. A preocupação agora é com os animais do zoológico. A vigilância foi reforçada para evitar que eles também sofram envenenamento.

Para ver o vídeo: http://g1.globo.com/videos/sao-paulo/v/mais-animais-sao-encontrados-mortos-no-bosque-de-ribeirao-preto/1506222/