Vamos dar um final FELIZ para a história do ZIDANE!

Pessoal,Apresento a vocês o ZIDANE. Um Cocker Spaniel todo pretinho, de índole espetacular, atualmente com 7 anos (tem muita vida pela frente), vacinado, vermifigudo e a procura de um Lar carinhoso!

Por que queremos dar um final feliz na história do Zidane?

Ele tem como tutora atual a Dona Antonietta, uma senhorinha de idade, que anda bem adoentada e, por isso, se preocupa MUITO com o futuro desse peludinho. Ela não consegue mais cuidar dele, não tem mais saúde para isso e mais, se preocupa com o destino do companheiro, caso venha a faltar.

Então pessoal, essa é a oportunidade de ter esse como seu amigão. Preciso MUITO dessa corrente do bem para arrumarmos um Lar carinhoso para o Zidane!

Lembrando que ele se encontra na Cidade do Rio de Janeiro. Quem quiser adotar esse peludinho maravilhoso, favor manter contato direto comigo URGENTEMENTE!

Vamos dar um final feliz na história do Zidane!

Dia 05 de Junho será marcado por protestos importantes

Pessoal,

Precisamos nos mobilizar. Código Florestal que protege bandido e dá anistia a desmatador… em troca de não haver CPI para explicar como o PALOCCI aumentou em 4 anos seu patrimônio em 20 vezes!

É o meio ambiente sendo vendido politicamente…

Então, dia 05 de Junho, várias manifestações estão sendo marcadas. Particularmente aqui, divulgo a do Rio de Janeiro e a de São Paulo.

Se você se preocupa com meio ambiente, seus animais, a própria raça humana, você tem OBRIGAÇÃO de comparecer.

vamos fazer com que esse movimento seja forte e com que nossa voz seja ouvida!

CHEGA DE SACANAGEM NA POLÍTICA BRASILEIRA! EU TÔ DE SACO CHEIO!

RIO DE JANEIRO

SÃO PAULO

A orelhas dos cães e gatos

Pessoal,

Olho vivo nas orelinhas dos peludões! Elas podem mostrar diversos problemas e são o primeiro aviso!

(de hotpets)

“Animais que coçam muito as orelhas podem estar

com infecção ou carrapatos ou pulgas, que

incomodam muito”

 

 
 
Locais abafados, quentes e úmidos, as orelhas e ouvidos oferecem condições ideais para o desenvolvimento de microrganismos, principalmente bactérias.

Animais que abanam insistentemente as orelhas, assim como o mau cheiro e a produção de secreções (corrimentos) são sinais de uma provável infecção que pode se agravar caso não seja rapidamente diagnosticada e tratada.

Animais que coçam muito as orelhas podem estar com infecção ou carrapatos ou pulgas, que incomodam muito.

Para evitar que tudo isso aconteça com seu cão ou gato, é preciso examinar (inclusive cheirando) periodicamente as orelhas e fazer uma limpeza com um cotonete.

Cães com orelhas muito compridas ficam com a ventilação do ouvido prejudicada e isso também favorece o aparecimento de infecções. O mesmo acontece quando as orelhas são muito peludas, o que pode ser resolvido aparando o excesso de pelo.

 
 
Como é sabido que as bactérias (e outros microrganismos) precisam de umidade, além do calor, para seu desenvolvimento e multiplicação, é fundamental manter tanto as orelhas como o conduto auditivo sempre secos. É por esse motivo que na hora do banho é importante tapar a entrada do conduto com algodão e depois, enxugar cuidadosamente as orelhas.

Outro problema que pode ocorrer, principalmente nos cães de orelha comprida, são os hematomas (inchaços produzidos pelo acúmulo de sangue). Nesses casos, a única solução é cirúrgica.

Os pet shops que oferecem serviço de banho e tosa, incluem não apenas a proteção dos ouvidos, durante o banho, como também a sua limpeza.

Mas o uso de medicamentos, quando eles são necessários, devem ser prescritos por veterinário.

Suíça promove tradicional corrida de burros

Aliás, a Suiça e suas tradições “CULTURAIS” está me saindo pior que a encomenda!

Publicamos outro dia a briga dos touros por lá… agora a corrida dos burros… Agora restou uma dúvida… será que eles estão se referindo aos equinos que aparecem nas fotos ou dos “BURROS” que estão montados neles?

(do G1)

Corrida foi disputada na cidade de Mendrisio.
Fabrizio Molteni foi o vencedor da tradicional prova.

Fabrizio Molteni (à direita) comemora a vitória na tradicional corrida de burros, que foi disputada no sábado (28) na cidade suíça Mendrisio. (Foto: Fiorenzo Maffi/Reuters)

Fabrizio Molteni (à direita) comemora a vitória na tradicional corrida

de burros, que foi disputada no sábado (28) na cidade suíça de Mendrisio.

(Foto: Fiorenzo Maffi/Reuters)

À esquerda, Dario Engeler tenta subir em sua montaria. À direita, Fabrizio Molteni celebra sua vitória. (Foto: Fiorenzo Maffi/Reuters)

À esquerda, Dario Engeler tenta subir em sua montaria. À direita,

Fabrizio Molteni celebra sua vitória. (Foto: Fiorenzo Maffi/Reuters)

Recifes de corais podem desaparecer com oceano mais ácido

pessoal, os mares sofrem com a degradação ambiental que o homem provoca. Assim como a primeira forma de vida em nosso planeta saiu do Mar, sua destruição também levara a última forma de vida a extinção!

Ainda dá tempo!

(do G1)

Acidificação é resultado de maior concentração de CO2 na atmosfera.
Cientistas alegam que ecossistema pode ser impactado ainda neste século.

Um estudo realizado por cientistas dos Estados Unidos, Austrália e Alemanha aponta que acidificação dos oceanos, fenômeno que reduz o pH das águas devido ao aumento do CO2 atmosférico, poderá reduzir a diversidade e a resiliência (capacidade de recomposição) de recifes de corais ainda neste século.

Os pesquisadores estudaram espécies dos ecossistemas localizados próximos a três infiltrações vulcânicas, que emitem naturalmente CO2 no fundo do mar, na Papua Nova Guiné. Com isso, puderam entender melhor o impacto da acidificação dos oceanos na biodiversidade marinha.

Os cientistas conseguiram detalhar os reflexos de uma exposição prolongada dos recifes de corais a altos níveis de dióxido de carbono e baixo pH no oceano Indo-Pacífico. Isto simularia a projeção de aumento dos níveis de CO2 na atmosfera, que poderá ocorrer até o final deste século e tornaria os oceanos mais ácidos.

Infiltrações vulcânicas na região de Pápua Nova Guiné simula emissões de CO2 na atmosfera: recifes de corais podem desaparecer (Foto: Katharina Fabricius/Australian Institute of Marine Science)
Infiltrações vulcânicas em Papua Nova Guiné simula emissão de
CO2 na atmosfera: recifes de corais podem desaparecer com oceanos
mais ácidos
(Foto: Katharina Fabricius/Australian Institute of Marine Science)

“Esses resultados prévios mostram como os recifes ficarão daqui a 100 anos caso a acidificação dos oceanos piore”, afirmou Chris Langdon, um dos principais investigadores do assunto, que é ligado à Escola Rosenstiel de Ciência Marinha e Atmosférica, da Universidade de Miami.

O estudo mostra ainda mudanças na composição das espécies de corais e redução da biodiversidade e recrutamento no recife com a redução do pH de 8,1 para 7,8. A equipe também relata que o desenvolvimento de recifes cessaria a um pH abaixo de 7,7.

O quarto Relatório de Avaliação do IPCC (Painel Intergovernamental sobre Mudanças Climáticas) estima que até o final do século, o pH dos oceanos diminuirá dos atuais 8,1 para 7,8 devido ao aumento das concentrações atmosféricas de CO2.

O problema dos “carroceiros” em todo o Brasil

Pessoal,

Recebemos um e-mail da nossa leitora Mônica Maria de Albuquerque Tenório, contando-nos sobre o recorrente problema de maus tratos por parte dos carroceiros de Rio das Pedras, e nos solicitando um artigo sobre esse problema.

Pois bem, esse problema dos carroceiros é recorrente e Nacional. Nós, defensores dos animais e do meio ambiente temos conhecimento dos casos mais escabrosos, desde maus tratos a abandono desses animais que dão sua força de trabalho para o sustento de humanos.

Esse tipo de caso me recorda muito a fábula da Galinha dos ovos de Ouro. É evidente que nenhum defensor dos animais gosta de ver um veículo de tração animal, mas… já que o problema existe, ao menos gostaríamos de ver esses carroceiros devidamente orientados, para que se conscientizem que, maltratando esses animais, matam suas “galinhas dos ovos de ouro”.

Como conhecedor dos problemas dos animais e do sistema legislativo, conheço bem as soluções para esse problema, soluções essas que dependem da BOA VONTADE POLÍTICA!

Registro aqui (para que não venham dizer depois que a idéia é de outros) algumas soluções simples (mas que dependem do poder público) que resolveriam de forma gratificante o problema dos animais de tração;

1- Criação de uma cooperativa dos carroceiros (municipal).

a) Criação de um programa governamental de qualificação e educação no trânsito, criado especialmente para carroceiros.

b) Criação de um curso voltado aos carroceiros de manejo de equinos, criado e ministrado com as características dessa classe.

c) Dentro dessa cooperativa, encontros regulares, com palestras e mini-cursos voltados a carroceiros.

2- Criação de uma regulamentação para o tráfego de carroças no Município, voltada a proteção dos animais e dos carroceiros.

a) Regularização das carroças com identificação e habilitação especial para esses carroceiros.

3- Apoio veterinário com campanhas de vacinação aos animais de carroceiros regularizados pelo municipio.

Ou seja, teríamos os carroceiros LEGALIZADOS, que teriam que cumprir uma série de requisitos para serem considerados LEGAIS, e os não legalizados, que estariam sujeitos a apreenção de suas carroças, animais, etc.

Dentro desse ideal, teríamos animais acompanhados e protegidos, assim como carroceiros “educados” ambientalmente, em cidadania e mais, incluidos dentro de uma classe regularizada e não mais à margem da sociedade.

Soluções simples, que podem ser conveniadas a entidades privadas e que teriam um impacto socio-ambiental gigantesco!
O que falta? Vontade política!

Batalhão Florestal apreende 70 pássaros silvestres em feira de Duque de Caxias

Ahahahaha!!! De novo? Claro… como eu já cansei de falar, não adianta ficar indo lá de 15 em 15 dias… se forem todo domingo, vão apreender todo domingo…
Aliás, acho que nem vou mais publicar notícias dessas… basta copiar e colocar todo domingo igualzinho!
Ah…cabe ressalva de que DESSA VEZ, 1 MENOR foi APREENDIDO e levado a delegacia.
Se para MAIOR não dá em nada, que dirá menor de idade! Diferente das 15 vezes anteriores, onde NINGUÉM foi preso, dessa vez acharam um “bucha”!
Eu tenho cara de palhaço???

(do R7)

Policiais militares do Batalhão Florestal apreenderam na manhã deste domingo (29) 70 pássaros silvestres que estavam sendo vendidos em uma feira no centro de Duque de Caxias, na Baixada Fluminense.
Entre as aves, havia três tucanos Araçari-Poca, espécie considerada rara. Também foram apreendidos 19 sanhaços, seis garibaldis, cinco pinchanchãos, quatro canários-da-terra, quatro poleiros, três saíras, três trincas-ferro e um sabiá-da-praia.

Todos são animais silvestres e comercializá-los é considerado crime ambiental.

Um menor que estava com as aves foi apreendido e levado para a delegacia de Duque de Caxias (59ª DP).

Os animais serão encaminhados para o Centro de Triagem de Animais Silvestres (Cetas) de Seropédica.

 

Assista ao vídeo:

Alemanha anuncia fim da energia nuclear até 2022

Fale o que quiser, só não fale que a Alemanha não está sempre na ponta das novas decisões em favor do meio ambiente!
Tomara que outros países sigam esse exemplo!

(do Estadão)

A Alemanha anunciou planos para se tornar a primeira grande potência industrializada a paralisar todas as suas usinas nucleares em razão do desastre ocorrido no Japão. A paralisação gradual deverá ser concluída até 2022. A decisão da coalizão de centro-direita foi anunciada pelo ministro do Meio Ambiente, Norbert Roettgen, que a descreveu como irreversível.

“Após longas consultas, existe agora um acordo para colocar um fim na energia nuclear”, disse o ministro, depois de sete horas de negociações nos escritórios da chanceler Angela Merkel, que entraram pela madrugada. “A decisão é consistente, decisiva e clara”, acrescentou.

A Alemanha possui 17 reatores nucleares. Oito deles estão fora da rede de eletricidade, sendo que sete são os mais antigos do país e haviam sido paralisados por três meses enquanto se aguardava uma avaliação de segurança em seguida à crise nuclear na usina de Fukushima, no Japão. O oitavo fica na usina Kruemmel, no norte da Alemanha, e estava paralisado há anos em razão de problemas técnicos.

Segundo Roettgen, além dos oito reatores já paralisados, seis encerrarão as operações até o fim de 2021 e os três mais modernos serão desligados até o fim de 2022. O ministro afirmou que não há riscos de blecautes. “Nós garantimos que o fornecimento de energia será assegurado em todos os momentos e para todos os usuários”, disse. Atualmente, 22% das necessidades de eletricidade da Alemanha são cobertas pela energia nuclear.

A decisão de hoje indica um retorno ao cronograma estabelecido dez anos atrás pelo governo anterior da Alemanha, liderado por uma coalizão entre o Partido Social Democrata e o Partido Verde. No fim do ano passado, o governo de Merkel decidiu estender a vida útil dos 17 reatores alemães por, em média, 12 anos, o que os manteria em uso até meados de 2030. Essa decisão era impopular na Alemanha mesmo antes do desastre no Japão. As informações são da Dow Jones.