Minha entrevista na TV do Sindicato dos Metalúrgicos de SP

Pois é pessoal,

Finalmente no dia 12/04 (terça feira) será transmitida pela TV do Sindicato dos Metalurgicos de Sampa a minha entrevista para o programa “CLIQUE E LIGUE”. o programa foi muito legal, como tem 50 minutos e eu participei de 2 blocos, deu prá falar bastante sobre o Tráfico de animais Silvestres no País e sobre proteção animal e até um recadinho contra o Sharkfinning.
Prometo a vocês que vai valer conferir o programa! Prá quem perder, estará disponível no site da TV na quarta feira.

Prá quem quiser conferir: http://www.tvt.org.br

Começa as 19:30 pontualmente.

Bom, todo mundo tem o direito de sentir um pouco de orgulho, né? Eu fiquei, por ter sido “importado” do RJ para falar em SP sobre animais…

Depois me contem aqui o que acharam, ok?

Até lá!

No Japão parou, mas centenas de baleias são trucidadas na Noruega

É impressionante que, nos dias de hoje, com todo o avanço tecnológico que temos, algumas práticas medievais de sadismo, ainda sejam praticadas em nome, pasmen, da CULTURA!

Se isso é cultura, prefiro comtinuar um imbecil!

Post original de:http://moglobo.globo.com/blogs/blog.asp?blg=imensidao&p=2

Traduzido e adaptado por Paulo Guilherme Pingüim
Por Joanna Toole
A controversa matança anual das baleias na Noruega começa mais uma vez. Joanna Toole demonstra as evidências de que a prática é cruel, desnecessária e cada vez mais impopular.
Começou dia 1° o início oficial da temporada de caça às baleias na Noruega. A Noruega é um dos três países desafiando a proibição internacional de 1986 sobre a caça comercial. Esta moratória sobre a caça à baleia foi implementada por uma maioria qualificada dos Estados membros da Comissão Baleeira Internacional (CBI), para tentar pôr fim a uma prática de caça, que está levando a extinção de várias espécies de baleias.
Apesar da oposição internacional, a Noruega retomou a caça comercial em 1993 e desde então matou mais de 9.500 baleias. Este ano, 1.286 baleias minke sociáveis ​​e sensíveis são destinados a morrer nas águas norueguesas na época de caça que decorre entre Abril e Agosto.
Durante anos, a Sociedade Mundial de Proteção Animal (WSPA) tem trabalhado ao lado de grupos bem-estar animal na Noruega, para ajudar a aumentar a pressão sobre o governo norueguês para pôr fim a esta prática cruel, ultrapassada e desnecessária. Até agora tem sido difícil chegar até os funcionários do governo no território de origem norueguesa na CBI. Foi esclarecido pelo governo norueguês, que o argumento da atividade baleeira de “apenas por ser cruel” não é motivo suficiente para pôr um fim à caça.

A diminuição de apoio
No entanto, na próxima semana WSPA e as organizações norueguesas Dyrebeskyttelsen Norge e Noé – para Dyrs Rettigheter vão lançar novos elementos de prova que demonstramo apoio público para a caça à baleia na Noruega está diminuindo, que o apetite por carne de baleia norueguesa está em um nível mais baixo e, como conseqüência a indústria está lutando para sobreviver. A diminuição da rentabilidade da indústria já é reconhecida por baleeiros e do governo norueguês, os últimos anos viram diminuir as capturas e menos pessoas e embarcações envolvidas nas caçadas.
O novo relatório visa revelar a verdadeira dimensão da situação e demonstrar porque o governo precisa agir. Todos os três grupos querem que o governo norueguês adote um duro olhar para os números e questione a lógica de manter uma indústria que não é só já está em declínio, mas também tem perdido o apoio público.
O descontentamento popular ficou claro quando os três grupos foram às ruas de Oslo no ano passado para ter uma ideia da mentalidade norueguês. O feedback demonstrou a mudança de atitudes dos noruegueses para caça. Adicionando a isso, o aspecto do bem-estar animal da caça à baleia é mais evidente do que nunca.

Baleeiros noruegueses caçam baleias minke, que matam com arpões pentrita, uma tecnologia que pouco mudou em mais de 100 anos. No entanto uma grande variedade de fatores, incluindo a visibilidade, as ondas e os movimentos do barco e da baleia tornam impossível até mesmo para o mais experiente dos baleeiros assegurar um disparo preciso o suficiente para matar a baleia imediatamente. Os dados oficiais do governo norueguês mostra que pelo menos uma em cada cinco baleias não morrem imediatamente e, portanto, sofre uma morte longa e angustiante.
Provas por investigação secreta.
Em 2010, uma investigação secreta, realizada pela WSPA, Dyrebeskyttelsen Norge e Noé – para Dyrs Rettigheter, registrou imagens de uma baleia minke sendo arpoada por um navio baleeiro norueguês e a posterior falha dos caçadores para garantir que ela fosse morta em menos de 22 minutos.
A condenação da caça às baleias é universal. No ano passado, mais de 101 000 pessoas em todo o mundo assinaram uma petição dirigida ao primeiro-ministro norueguês, pedindo-lhe para pôr fim ao sofrimento das baleias. No entanto, apesar desta preocupação crescente, inclusive entre os noruegueses, o governo ainda está ´permitindo e emitindo quotas de caça para as baleias a cada ano. Já é tempo de o governo norueguês ouvir a população norueguesa, pensar sobre a reputação da Noruega e tomar medidas para tornar a indústria baleeira uma coisa do passado.

Joanna Toole é uma coordenadora da campanha de oceanos em WSPA

Viva o G.A.R.R.A!!!

Pessoal,
Prá quem não conhece o trabalho ESPETACULAR do G.A.R.R.A…

O principal objetivo do G.A.R.R.A. é resgatar e reabilitar animais abandonados que sofreram maus tratos, disponibilizando-os para adoção.

Todos os resgatados são encaminhados à clinicas particulares, onde passam por uma avaliação geral (consulta veterinária, exames, etc) e em seguida, para seus lares temporários, caso estejam em um bom estado geral de saúde, do contrário são mantidos em internação até que possam ser liberados para lares temporários ou adoções permanentes.

Mensalmente o G.A.R.R.A. realiza campanhas de adoção.

Não atendemos a pedidos de resgate por telefone ou e-mail.
Não recebemos animais que possuam famílias ou responsáveis.
Nosso trabalho é direcionado única e exclusivamente aos animais que foram vítimas dos crimes de maus tratos e abandono.

Toda ajuda é muito bem vinda no G.A.R.R.A.

Os interessados poderão nos ajudar fazendo trabalho voluntário ou lar temporário para algum animal resgatado.

Poderão também nos ajudar doando:

Ração
Medicamentos
Jornais
Panos, cobertores, edredons e toalhas usados
Produtos de limpeza
Shampoos
Produtos de Pet shop
Casinhas
Doação Financeira

Disponibilizamos abaixo, nossas contas, para os amigos que quiserem colaborar com o nosso trabalho:

Banco Itaú
Agência: 0598
Conta Corrente: 47041-7
Renata da Silva Prieto

Banco do Brasil
Agência: 4059-2
Conta Corrente: 14994-2
Adriana de Oliveira Neves

Pedimos aos amigos que entrem em contato, por e-mail: adote@garranimal.com.br ou pelo telefone(21) 9258-8445, informando os dados do depósito para que possamos identificar e confirmar.

Se for preciso fazer um DOC, entre em contato para que possamos informar o número do CPF.

Muitas vidas já foram salvas pelo G.A.R.R.A.
Colabore com o nosso trabalho.
Adote um animalzinho do G.A.R.R.A.

BRASIL, UM PAÍS ONDE AINDA COMPENSA O TRÁFICO DE ANIMAIS SILVESTRES

Um tema polêmico e que precisa do conhecimento da população em geral. O Tráfico de Animais Silvestres e as razões pelas quais esse crime compensa em nosso país.

Imagine a situação, com a qual estamos acostumados ver em noticiários diariamente: “Traficante de Crack é preso com 100 pedras do entorpecente.”

Conforme contempla a LEI Nº 11.343, DE 23 DE AGOSTO DE 2006, que trata da questão dos entorpecentes em nosso país, diz a letra da Lei:

Art. 33. Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar:

Pena – reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.

Dentro da situação mencionada acima, percebemos que, através da venda das 100 pedras de Crack, o traficante de drogas teria uma arrecadação criminosa em torno de R$ 1.000,00 (conforme amplamente noticiado em meios de comunicação, as pedras de Crack custam em torno de R$ 10,00 a unidade).

Percebemos também que a sanção penal é de reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos. Apesar da ameaça dessa pena, continuamos a ver nossas forças de segurança combatendo esse mal que não acaba sequer diminui em nosso país.

Agora, analisemos a questão do Tráfico de Animais:

LEI No 9.605, DE 12 DE FEVEREIRO DE 1998 – CRIMES AMBIENTAIS

Seção I
Dos Crimes contra a Fauna
Art. 29. Matar, perseguir, caçar, apanhar, utilizar espécimes da fauna silvestre, nativos ou em
rota migratória, sem a devida permissão, licença ou autorização da autoridade competente, ou
em desacordo com a obtida:

Pena – detenção de seis meses a um ano, e multa.

No Brasil, convencionou-se que, em alguns casos, crimes inferiores a sanções de 2 anos de reclusão seriam considerados como “Crimes de Menor Potencial Ofensivo”, gerando não mais a reclusão mas penas pecuniárias (pagamento de multas) e em alguns casos, a prestação de serviços a sociedade. Que fique claro que, diante da transação penal, o praticante do crime não perde sequer a condição de PRIMARIEDADE.

Então, diante do exposto, entenderemos as razões pelas quais, em nosso amado país, ainda compensa o Tráfico de Animais Silvestres. Qual o meliante que preferiria ser preso com 100 pedras de Crack, correndo o risco de até 15 anos de reclusão para ganhar R$ 1.000,00 quando pode, com apenas um pássaro conhecido com o nome vulgar de CHANCHÃO (sporophila frontalis), poderia ter o mesmo lucro, incorrendo num risco de, sequer passar 1 dia na prisão?

Atualmente o Crime de Tráfico de Animais é a 3ª mais lucrativa forma de tráfico no planeta, perdendo apenas na ordem, para o de entorpecentes e o de Armas de Fogo. Mas essa realidade está se transformando, numa velocidade gigantesca, diferentemente de nossa legislação que, no que tange a proteção animal, só ter retroagido nos últimos anos. Cabe a ressalva de que, para cada 10 animais capturados ilegalmente na natureza, apenas 1 chega vivo às mãos do comprador, que compactua com esse crime. As formas de transporte são hediondas e as práticas para a venda idem.

Durante as várias operações que fiz para coibir o tráfico de animais silvestres no Estado do Rio de Janeiro, pude perceber a “simbiose” que tem ocorrido entre as várias formas de crime. Apuramos traficantes de animais que, ao mesmo tempo, estavam envolvidos com roubo de automóveis, pirataria de propriedade imaterial e até mesmo, tráfico de drogas, tudo em conjunto com a atividade principal que seria a de captura e venda desses animais.

É tempo para que nossos Legisladores Federais comecem a ficar alerta contra essa prática criminosa, que dilapida diariamente um de nossos maiores patrimônios, nossa fauna silvestre. Sim, é o tempo de compararmos o tráfico de animais ao de entorpecentes, principalmente na questão das sanções penais, já que os “piores” envolvidos no crime, os traficantes, já estão alerta para essa situação há muito tempo.

E lembrem-se! Tanto quanto o tráfico de entorpecentes, no de Animais, só existem traficantes porque existem as pessoas que compram esses animais. Lugar de animal Silvestre é na mata, não em viveiros de luxo nas cidades!

Fabiano Jacob

***Originalmente publicado em: http://www.jornaldacidadeonline.com.br/leitura_artigo.aspx?CodArtigo=3088

Começamos…

Pois é pessoal, depois de muitos posts em Facebook, Twitter, textos escritos para Jornais e de ter levantado a voz em defesa dos animais dependendo da “boa vontade” daqueles que possuem os meios de comunicação, resolvi FINALMENTE criar meu espaço particular (mas público) para poder manidestar e registrar opiniões de ATITUDE e Prol dos nossos amigos Peludos, patudos, Escamosos e Empenados…

Esse espaço nasce diferente, dependendo da participação de cada um de vocês, que realmente se preocupam com a vida nesse planeta. Aqui teremos (com o tempo), muita informação, dicas legais, cadastro de Vet´s Solidários, meus textos, vídeos, fotos e muito mais. Também estaremos divulgando adoções, campanhas e denúncias.

Conte sempre com esse espaço, como sempre pôde contar comigo.

Muito obrigado pela sua visita e vamos fortalecer nossa luta por essa ferramenta!

Abraços a todos!